Consultor Técnico da Semarh reassume presidência da ABES/RN

O trabalho desenvolvido pelas instituições ambientais do Rio Grande do Norte está baseado nos cuidados com o desenvolvimento de ações e práticas sustentáveis adotadas pelo poder público, pelo setor privado e pelas instituições não governamentais da sociedade civil organizada. É nesse trabalho de apoio técnico as práticas que a Associação Brasileira de Engenharia Sanitária e Ambiental (ABES/RN) desenvolve suas atividades no Rio Grande do Norte. No próximo 1º de setembro, a ABES dará posse à diretoria e aos conselhos consultivo e fiscal para o biênio 2011-2013.
O presidente eleito em julho deste ano é o engenheiro sanitarista Josivan Cardoso Moreno, consultor técnico do Programa de Desenvolvimento Sustentável e Convivência com o Semiárido Potiguar (PSP) da Secretaria de Estado do Meio Ambiente e dos Recursos Hídricos (Semarh).
Essa é a segunda vez que o sanitarista assume a gestão da ABES, que é uma organização não-governamental de caráter nacional, sem fins lucrativos, que tem como principal objetivo contribuir através do conhecimento dos seus associados para melhoria da qualidade de vida da sociedade brasileira.
A nova diretoria é formada também por Josema de Azevedo, vice-presidente; Maura Wagna Dantas, primeira secretária; Maria Gorete Pereira, segunda secretária; Emília Margareth Silva, primeira tesoureira; Daniel Dantas Medeiros, segundo tesoureiro; Cícero Onofre de Andrade, diretor e Maria Geny Farias, diretora.
A associação tem mais doze integrantes divididos nos conselhos consultivos e no conselho fiscal que tem voto garantido no planejamento e colaboram na tomada de decisões ambientais no Rio Grande do Norte. 
ABES/RN
Com a sede em Capim Macio, a seção estadual da ABES desenvolve um trabalho de valorização do setor, inclusive através de programas de divulgação técnica e científica em seminários, palestras, debates e cursos.
Fundada em 1975 no Estado do Rio Grande do Norte, a ABES/RN tem como objetivo desenvolver atividades relacionadas com o saneamento e meio ambiente, incentivando a consciência social sobre questões de preservação do meio ambiente e as ações dirigidas à melhoria da qualidade dos serviços de saneamento, tendo como conseqüência estabelecer mecanismo de caráter social e político com reflexos na saúde e no bem estar da população.
Compartilhe no Google Plus