Cadastro de doadores de medula óssea tem 15 mil voluntários no RN

O Hemocentro Dalton Barbosa Cunha (Hemonorte) comemora, nesta quinta-feira, dia 06, o Dia Nacional do Doador Voluntário de Medula Óssea. A celebração da data acontece com uma mobilização junto à população, buscando a reflexão e o esclarecimento de todo o processo de captação e doação de medula óssea.


A concentração das ações acontece na sede do Hemonorte, no horário das 9h às 16h30, com realização de mini palestras sobre a doação de medula óssea e cadastramento de voluntários com coleta de amostras para realização do exame de histocompatibilidade sangüínea (HLA).


As atividades acontecem com a parceria do Grupo de Apoio à Criança com Câncer, Hatmo (Humanização e Apoio aos Transplantados de Medula Óssea) e Casa Durval Paiva. Também estão sendo realizadas coletas no Posto de Coleta da Zona Norte, na Unidade Móvel localizada em frente à Catedral Metropolitana de Natal e no Natal Shopping.


O Secretário de Estado da Saúde Pública, Domício Arruda, esteve presente na sede do Hemonorte e destacou a importância de ações que envolvam órgãos oficiais e a sociedade civil organizada. "Quero ressaltar a grande importância de movimentos como este, em prol da saúde pública".


Rosemary Oliveira, diretora de apoio técnico do Hemonorte, explica que a programação alusiva ao Dia Nacional de Doação de Medula Óssea vem somar às demais ações educativas realizadas ao longo do ano. "Hoje é um dia de confraternização entre o Hemonorte e seus parceiros, no qual a sociedade é convidada especial para participar e prestar este ato de solidariedade".


A Diretora Geral do Hemocentro, Linete Rocha, ressalta a importância de se trabalhar a qualidade do cadastramento. "O Hemonorte tem feito um trabalho diferenciado de conscientização dos prováveis doadores, pois acreditamos que os voluntários precisam estar conscientes do que significa a doação".


De 2002 a 2010 o Hemonorte cadastrou 15.253 norte-riograndenses junto ao REDOME (Registro Brasileiro de Doadores de Medula Óssea). No Rio Grande do Norte, até a data de hoje (06), 135 pessoas esperam por uma doação de medula óssea.


Cadastramento de Doadores


O cadastramento de doadores é feito mediante a coleta de 5 ml de sangue e o preenchimento de um cadastro contendo dados pessoais. Se a compatibilidade for confirmada o voluntário será consultado para decidir se deseja fazer a doação. No procedimento de doação o doador é anestesiado em centro cirúrgico e a medula é retirada do interior dos ossos da bacia por meio de punções. Os doadores retornam às suas atividades habituais uma semana após a doação.


O transplante de medula óssea é a única esperança de cura para portadores de aplasia medular, leucemias e alguns tipos de câncer. A chance de se encontrar uma medula óssea compatível com a de outra pessoa no Brasil é de 1 em 100.000, por isso a existência de um número cada vez maior de pessoas interessadas em doar, facilita a busca por um tipo de medula compatível.


Com informações: SESAP
Compartilhe no Google Plus