TriNave: Um evento “morto” pelas leis do silêncio

http://arquivos.tribunadonorte.com.br/fotos/30760.jpg
Imagem: TN
do noticiasdorn.com
 
Quem é acostumado a ir aos eventos do “Carnatal” e, principalmente,  ao EvaNave ou Trivela está se perguntando sobre o fato desses eventos estarem acontecendo mais cedo. 

Acontece é que esse ano o TriNave, que tem a proposta de unir dois dos maiores projetos de palcos móveis que são a Trivela da banda Asa de Águia com o Evanave, da banda Eva irá ser realizado na Vila Folia.

A Vila Folia há tempos é palco de grandes festas e eventos dessa proporção, porém, o desenvolvimento do bairro de Emaús, Parnamirim-RN, trouxe uma série de problemas para a Casa de Show e para os moradores que contantemente reclamam do barulho e do horário dos eventos que normalmente se estendiam até a madrugada. O que os moradores corretamente questionam é que existe uma lei específica sobre a produção de ruídos e um artigo no Código de Meio Ambiente, LEI Nº. 4.100, que aduz no Artigo 81 sobre Poluição Sonora e cujo parágrafo destaca “Fica proibido produzir ruídos e vibrações prejudiciais ao ambiente, à saúde pública, à segurança, ao bem-estar e ao sossego público ou da vizinhança.”
O que atrapalha o evento, nesse caso, além da questão da poluição sonora impulsionar a sua realização mais cedo, é o consequente fato da diminuição do público adulto, que normalmente seguem os shows de Asa de Águia restando a presença de uma parcela do público adolescente.
Compartilhe no Google Plus