Parnamirim: Funcionário da SELIM discute com moradora do Portal do Jiqui II

http://arquivos.tribunadonorte.com.br/fotos/84587.jpg 
Um fato inusitado aconteceu nesta sexta-feira(09), em Parnamirim. Segundo informações, um funcionário da SELIM, Secretaria de Limpeza de Parnamirim, discutiu com uma moradora depois que ela o questionou sobre a não continuação de um serviço de limpeza na região de Nova Parnamirim conhecida como Portal do Jiqui II.

A discussão se deu quando a moradora, até agora não identificada, questionou o encarregado da prefeitura sobre a parada do serviço de limpeza na rua. Os moradores destacam que os homens que estavam trabalhando comentaram que parariam o serviço para ir a outro bairro e possivelmente não voltariam. Neste momento a moradora interviu e questionou o fato de há tempos esperar pela limpeza e não aceitaria parar um serviço tão esperado pela população e que não haveria perspectiva no retorno. 

O bate boca continuou quando, segundo informações repassadas por uma moradora, o funcionário da SELIM disse que ela estava questionando aquilo pois era adepta de outro político que atualmente é deputado (não souberam informar o nome). A moradora respondeu dizendo que não era do lado de nenhum político e queria apenas a limpeza de sua rua questionando, também, o não calçamento da mesma. Além disso, a moradora ainda falou que era obrigação da prefeitura realizar o serviço de limpeza haja visto que pagavam caros impostos e nem o calçamento era feito. No final da discussão a moradora ainda disse que mesmo se fosse adepta de um político de oposição a prefeitura deveria realizar o trabalho pela população e não apenas por ela, pois assim estaria caracterizando uma perseguição política. Neste momento o funcionário se retirou e retirou as máquinas do local. 

Impasse: O calçamento

A região ficou conhecida depois de uma operação da Polícia Civil e Militar de combate ao tráfico de drogas. Desde então os moradores iniciaram uma campanha para resolver os problemas da região do Portal do Jiqui II área que é marcada pela dualidade entre desenvolvimento e descaso. De um lado, existe um morro onde é uma pequena área de preservação ambiental e, de outro, toda uma área em desenvolvimento com grandes obras e casas de classe média. Toda aquela área que é conhecida como Toca da Raposa não é calçada de fato e vive reivindicando da prefeitura a obra de pavimentação e drenagem.

Imagem: Divulgação Adonis Felipe (Tribuna do Norte)
Não correponde ao local da matéria e sim apenas para ilustração
Compartilhe no Google Plus