Dilma diz que governo está determinado a implementar ajuste

Dilma Rousseff durante cerimônia de inauguração do Polo Automotivo Jeep
Imagem: Roberto Stuckert Filho/PR
A presidente Dilma Rousseff voltou a usar um evento público para defender o ajuste fiscal do governo e reforçar que as medidas serão passageiras.
"Os ajustes são conjunturais e necessários. E nós estamos determinados a implementá-los", afirmou a presidente durante cerimônia de inauguração do Polo Automotivo da Jeep em Goiana (PE).
Segundo a presidente, junto com as medidas de ajuste o governo vai implementar condições para garantir a expansão "não só da nossa infraestrutura, mas também de todo o mercado e da indústria automobilística".
"Os ajustes não ofuscarão o fato de que a indústria automotiva do Brasil deu um passo à frente", afirmou.
Dilma disse ainda que hoje o mercado automotivo brasileiro se modernizou e empresas de vários países estão se instalando no Brasil.
"Queremos ser uma das principais bases de inovação da indústria mundial", disse.
Segundo Dilma, o Brasil vai continuar trabalhando para ter um ambiente de negócios cada mais vai favorável para a indústria brasileira em geral e para a automobilística.
"Todas as empresas são bem-vindas ao País, para instalar fábricas ou expandir existentes", disse.
No discurso, Dilma voltou a citar a Petrobras e disse ter orgulho de a estatal estar "virando uma página" nos escândalos de corrupção no âmbito da Operação Lava Jato, da Polícia Federal.
A presidente defendeu ainda a refinaria Abreu e Lima, que também foi alvo de denúncias, e disse que ela é "elemento fundamental para desenvolver a indústria petroquímica" e que sua importância "vai muito além da produção de diesel no Brasil".
Dilma disse ainda que o governo federal mantém seus compromissos com Pernambuco e anunciou como "boa notícia" que na segunda-feira, 27,o órgão estadual do meio ambiente concedeu licença prévia para o trecho sul do Arco Metropolitano.
Segundo ela, o governo federal estuda a inclusão do trecho norte no pacote de concessões que deve ser anunciado em maio.
"Tudo isso faz parte de uma estratégia de desenvolvimento regional, que tem por objetivo ter clareza da importância desta região para o País".
Polo Automotivo em PE
Dilma Rousseff declarou no evento que a inauguração do empreendimento reforça o compromisso do governo com o desenvolvimento regional.
Em seu discurso, ela destacou que a fábrica contou com apoio do governo federal, que financiou dois terços do total investido e concedeu incentivos tributários.
"Este País precisa, para crescer e se tornar forte, que as regiões estejam fortes. Daí a importância deste projeto", afirmou Dilma, destacando que 80% da mão de obra utilizada na fábrica é composta por pernambucanos e nordestinos, "o que demonstra que o País tem imensa qualidade na sua força de trabalho".
"Essa fábrica é exemplo concreto do compromisso do meu governo com o desenvolvimento regional e social", disse.
Dilma ressaltou que o investimento de cerca de R$ 10 bilhões feito pelo grupo Fiat Chrysler Automotive (FCA) para instalar o polo automotivo em Pernambuco está ancorado em avaliações e escolhas baseadas em um "olhar de longo prazo".
Segundo ela, a decisão da montadora de se instalar no Nordeste expressa confiança nos rumos do País.
A decisão, acrescentou, decorreu também do suporte dado pelo governo federal, que concedeu "volume expressivo de financiamento".
A presidente afirmou que o governo financiou dois terços do montante investido, via crédito do BNDES e de fundos constitucionais do País, por meio do Banco do Brasil e do Banco do Nordeste (BNB).
"(O suporte do governo) também ocorrerá sob forma de incentivos tributários, uma vez que o governo federal concederá crédito para IPI (Imposto sobre Produtos Industrializados) até 2020", acrescentou.
EXAME
Compartilhe no Google Plus