DETRAN: “O Inferno em Natal”


Quem pensa que já viu ou ouviu todo tipo de coisas “bizarras” vindas do serviço público engana-se. Quem precisa da estrutura do Departamento Estadual de Trânsito – DETRAN, em Natal, vive momentos de terror, humilhação, descaso e sofrimento. Esses adjetivos são apenas alguns que encabeçam e endossam o que um usuário dos serviços daquele local intitulou de “INFERNO”.

Para se ter uma idéia da dimensão dos problemas enfrentados pelo DETRAN é necessário não apenas ler esta matéria mas viver a empatia de sentir o que cada um sente dia a dia e há décadas naquele local.

FALTA DE INFORMAÇÃO – O FOGO COMEÇA A SER ACESO

O primeiro grande problema do DETRAN é a falta de informação. Essa falta é tremenda haja vista que as pessoas, principalmente os marinheiros de primeira viagem, chegam a errar a manhã toda devido ao jogo de empurra de alguns funcionários que não explicam ou não facilitam para o contribuinte. De início, vários serviços do Departamento Estadual demandam uma vistoria no veículo para avaliar se preenchem todos os requisitos da lei. Acontece que existe não apenas um, mas dois setores de vistoria no local, um para cada tipo de veículo, isso que o contribuinte só fica sabendo depois. O usuário se dirige para uma área onde todos avisam: “É ali, pode entrar”. Esse “ali” é na verdade uma via de mão única, uma verdadeira fila indiana de veículos e que, caso desistam de realizar a tão temida vistoria não podem retornar e tem que aguardar todos os carros saírem para evadir-se do fogo. 

VAI TRANSFERIR UM VEÍCULO? PREPARE-SE PARA VISITAR O IN-FERNO

Não bastasse o “pequeno” estresse do início de não terem informado onde o veículo deveria ser vistoriado. O contribuinte sofredor ainda tem que se dirigir, se for o caso, a um outro setor de vistoria destinado a carros onde o número do motor é de difícil acesso. Nessa etapa se prepare pois alguns funcionários(NÃO TODOS-PARA NÃO SER INJUSTO), iniciam uma verdadeira falta de respeito gritando, rindo da cara do contribuinte, fazendo chacota com os veículos e usando de forma equivocada a “autoridade” a qual foram concedidas. “Autoridade? Autoridade deveria ter o contribuinte que paga corretamente cada serviço e só recebe humilhação”, disse uma jovem grávida. 

VISTORIA FUNCIONA

Embora as humilhações, a cara de deboche e o autoritarismo por parte dos vistoriadores sejam constantes, esse setor é considerado um que funciona, pois é só o vistoriador avaliar o carro se está conforme a lei, registrar o número do motor e chassi e a vistoria está completa. 

Acha exagero? Vá ao DETRAN

Continuando. 

O contribuinte que passou pela vistoria tem a triste notícia que não é apenas aquele procedimento a ser realizado para que ele venha a resolver a sua situação e saia daquele verdadeiro inferno. Com a vistoria em mãos dirige-se para outro setor para “confirmar” a vistoria. Como assim? Confirmar? Sim. Tem que levar para um coordenador assinar. Esse ponto é importante ressaltar pois o tal coordenador, ou coordenadores constantemente não estão na sala e, dependendo do horário, funcionários justificam a ausência dos dois como estando em horário de almoço. Lembrando que o horário do DETRAN é corrido e vai até as 14h, mas que mesmo em almoço não fica um responsável pelas assinaturas. Isso é constante.

ENTÃO O SENHOR VAI VOLTAR A PÉ – RISOS E DEBOCHE

Um senhor de 65 anos, advogado, que vamos manter sua identificação em sigilo informou a nossa equipe que um dos coordenadores fez um verdadeiro deboche depois que o idoso foi pedir ajuda por ter passado a manhã toda no DETRAN e a vistoria em seu carro seminovo, não ter sido realizada, pois justificavam que se tratava de um modelo de difícil acesso e que o funcionário da vistoria disse que iria sair um pouco e simplesmente foi embora para casa, deixando o carro do senhor num Dick. O Coordenador simplesmente debochou da cara do senhor dizendo: “Então o senhor vai ter que voltar à pé para casa né”. O Idoso, mostrando-se bastante chateado com o deboche disparou: “Isso é coisa que se fale para uma pessoa que está fazendo tudo corretamente e que está aqui desde cedo?” o coordenador continuou o deboche e ainda quis desmentir o cidadão: “desde cedo? Não, o senhor não estava aqui desde cedo tenho certeza” com essa o cidadão mostrou uma prova de que estava lá realmente e questionou: “o senhor está me chamando de mentiroso?” O coordenador, observando que a brincadeira não ia dar certo simplesmente se desculpou e disse que iria pessoalmente resolver o problema. 

Para nossa equipe o advogado comentou: “Se fazem isso comigo que tenho anos de experiência com a lei, imagine com outros cidadãos que não conseguem se defender, devem bater né”.

PAGUE DIFÍCIL 

Em meio a tantos problemas que os contribuintes passam ainda pesa sobre o DETRAN a responsabilidade de ter em sua estrutura um PAGFÁCIL, serviço do Banco do Brasil que simplesmente só opera com 2(dois) caixas e a fila de espera praticamente interminável.

FORA DO AR

Outra situação CONSTANTE no DETRAN é a inoperância do sistema. É uma praxe chegar ao Departamento ESTADUAL de Trânsito e se deparar com a tão temida frase do funcionário “O sistema está fora do ar”.

TERRA DE NINGUÉM

O DETRAN é uma verdadeira “terra de ninguém”. Não há educação por parte de muitos funcionários, há somente descaso e muitos, de estagiário a funcionários públicos(NÃO TODOS), sentem-se donos do local hostilizando os contribuintes e transformando o local num verdadeiro Inferno em Natal.

ROBINSON E O DETRAN

Robinson Faria foi eleito governador com promessas pontuais de melhoria da condição dos serviços públicos. Até o momento não houve mudança qualquer no Departamento e, ao contrário, o serviço do local só fez piorar.

O INFERNO É LOGO ALI

Em resumo, o calor, o tempo de espera pelos serviços, os deboches, os abusos, a burocracia, a inoperância, a falta de informação, as longas filas e retornos, o calor e a falta preocupação e de mudanças por parte dos coordenadores transformam o DETRAN em um verdadeiro INFERNO em Natal. Esse “adjetivo” foi nos dado por um outro contribuinte que, conversando com nossa equipe, disparou: “Quer saber onde fica o inferno, visite o DETRAN em Natal, o inferno é aqui”.

A única coisa que consola o contribuinte é que o DETRAN em questão fica localizado no bairro de Natal “Cidade da Esperança” e é justamente a esperança em mudanças que está viva na mente de cada norteriograndense.
Compartilhe no Google Plus