PM suspeito de mandar matar amante de sua amante está preso com Iranildo Félix

Foto: José Aldenir

O titular da Delegacia Especializada de Homicídios de Natal (Dehom), bacharel Fábio Rogério, convocou a imprensa na manhã desta sexta-feira, para prestar esclarecimentos sobre a prisão do tenente da Polícia Militar do Rio Grande do Norte, André Cícero de Oliveira Firmino, um dos envolvidos na morte do almoxarife Antônio Reinaldo Alves, em outubro passado. Ele foi assassinado com dois tiros na cabeça.

As investigações avançaram e a Polícia Civil decidiu fazer uma busca na casa do policial militar. Para isso, uma equipe da Dehom comunicou pessoalmente o fato ao comandante geral da PM, que designou uma equipe composta por um oficial de patente superior a do tenente para acompanhar a operação, junto com a Dehom. Na residência do suspeito, os agentes apreenderam celular, filmadora e outros dispositivos de armazenamento de imagens. Tudo será analisado minuciosamente pelos investigadores, a fim de comprovar a ligação dele com a amante.

Almoxarife Antônio Reinaldo foi a vítima. Foto: Cedida

De acordo com o delegado Fábio Rogério, o tenente Firmino seria o mandante do homicídio. O militar, que é casado, estaria mantendo relação extraconjugal com a comerciária Maria Carolina. O problema começou quando a amante do policial também se relacionava com o almoxarife Antônio Reinaldo. Eles teriam se conhecido nas redes sociais. Na ocasião, adiantou o delegado, Maria Carolina teria recebido de Reinaldo um celular de presente e, claro, a garantia de que eles manteriam relações sexuais. “Ela aceitou o telefone, mas ficou com medo do encontro com Reinaldo, pois sabia que o tenente era muito ciumento. Diante disso, Reinaldo ficou irritado e ameaçou publicar as conversas comprometedoras deles na rede social”, explicou.

Tenente Firmino é suspeito de encomendar o homicídio. Foto: Divulgação

Sentindo-se ameaçada e com muito medo, acrescentou o delegado Emerson Valente, Maria Carolina procurou o tenente Firmino e pediu que ele ‘resolvesse a bronca’. O militar, por sua vez, resolveu contratar a pessoa de Francisco Tales de Oliveira Pinto (executor) para ‘dar um susto’ em Reinaldo. “Na verdade, a ideia era simular um assalto. Tales, então, roubaria o celular de Reinaldo para que as conversas comprometedoras com Maria Carolina fossem apagadas definitivamente. Assim, Reinaldo não teria mais como ameaçar a amante. Só que Tales, após render Reinaldo e tomar o aparelho, resolveu atirar duas vezes na cabeça da vítima”, observou Valente.

O executor (Tales) foi preso em flagrante nesta semana em São José de campestre, acusado de aplicar golpes de estelionato. Maria Carolina permanece em liberdade porque colabora com as investigações. Já o tenente PM Firmino (mandante) encontra-se detido no Quartel do Comando Geral da PM, onde divide cela com o colega de farda e da mesma patente, acusado de ter assassinado o lutador de Jiu Jitsu, Luiz de França.
A Polícia Civil tem 30 dias para concluir o inquérito, podendo ser prorrogado por mais 1 mês.

JORNAL DE HOJE
Compartilhe no Google Plus