Diagnóstico precoce evita em até 60% a cegueira infantil

Assim como qualquer doença, onde a descoberta precoce auxilia na cura da maioria dos pacientes, no caso da cegueira infantil não é diferente. Os pais devem ter muita atenção com as crianças, pois elas, em todas as faixas etárias estão sujeitas ao surgimento de problemas na visão, para isso, sendo orientação unânime entre os especialistas, o diagnóstico precoce que é essencial para um tratamento eficaz e rápido.


Umas das maiores preocupações dos médicos dessa área é a cegueira oriunda de causas evitáveis e tratáveis. De acordo com informações do Conselho Brasileiro de Oftalmologia, mais de 40% das crianças cegas em todo mundo tiveram perda da visão por causas que poderiam ter sido evitadas. Outro dado importante é que com o diagnóstico precoce, pelo menos 60% das doenças podem ser prevenidas e tratadas, evitando, futuramente, limitações e dificuldades das crianças.

Os cuidados com a visão dos pequeninos devem começar desde a sala do parto. Já no nascimento, a criança deve ser submetida a determinados exames para identificar algum problema ocular. De acordo com informações do Hospital Brasileiro da Visão (HBV), o teste do olhinho é um dos mais conhecidos, além de obrigatório, revela doenças como catarata congênita, tumores e outras.

"A criança não nasce sabendo enxergar, ela vai aprender assim como aprenderá a sorrir, falar, engatinhar e andar. Para isso, as estruturas dos olhos precisam estar normais, principalmente as que são transparentes. O "Teste do Olhinho" pode detectar qualquer alteração que cause obstrução no eixo visual, como catarata, tumores ocular, glaucoma congênito e outros problemas cuja identificação precoce possibilita o tratamento precoce e o desenvolvimento normal da visão", explica o Dr. Márcio Florêncio, oftalmologista do HBV.  

Na faixa etária entre 2 e 5 anos, outro "vilão" costuma surgir, o estrabismo. Um problema ocular que afeta o alinhamento dos olhos, interferindo na qualidade de vida. "Crianças com estrabismo podem ter baixa visão que pode ser curada, desde que um tratamento adequado se inicie muito cedo. Por outro lado, todas as crianças devem fazer um exame oftalmológico de rotina, mesmo que não haja nenhuma queixa quanto aos olhos", enfatiza o Dr. Florêncio.

Já com a chegada dos 5 e 7 aninhos, momento no qual a criançada vai à escola, outros problemas poderão ser desencadeados e, novamente, os pais precisam vigiar a saúde dos olhos dos seus filhos. A dificuldade na aprendizagem e o desinteresse podem ser resultados de um problema de refração, miopia e astigmatismo. Os especialistas recomendam que os pais levem as crianças aos consultórios antes do início das aulas, para que elas possam fazer exames clínicos e não sejam prejudicadas no decorrer do ano letivo.

No entanto, importante salientar que todos, independentes da idade, devem priorizar a saúde dos olhos, incluindo este cuidado na lista de exames importantes e que devem ser feitos com mais frequência. No aparecimento de qualquer incômodo, coceira, ardência ou dificuldade para enxergar, é necessário que o indivíduo busque ajuda e orientações médicas.

Assessoria de Imprensa
Compartilhe no Google Plus