Avião cai e suspeita é de Terrorismo

Avião da EgyptAir cai no mar em rota entre Paris e Cairo, diz França
Airbus A320
AIRTEAMIMAGES.COM

Um voo da EgyptAir que ia de Paris para o Cairo com 66 pessoas a bordo caiu no mar Mediterrâneo na madrugada desta quinta-feira, informou o presidente da França, François Hollande.

Em entrevista coletiva em Paris, Hollande disse que toda a informação reunida até agora indica que o voo MS804 caiu - mas nenhuma hipótese para a causa do acidente foi descartada, afirmou o presidente.

"A informação que reunimos - ministros, membros do governo e, claro, autoridades egípcias - confiram, infelizmente, que ele (avião) caiu. Ele está perdido", declarou o mandatário francês.

Segundo o Ministério da Aviação Civil do Egito, o Airbus A320 perdeu contato com o radar quando voava a 11,3 mil metros de altitude sobre o mar Mediterrâneo, às 21h30 de Brasília (2h30 do Cairo) e cerca de meia hora antes do pouso previsto na capital egípcia.

Equipes de resgate egípcias e gregas foram enviadas para a última posição conhecida da aeronave, ao sul da área entre as ilhas de Creta e do Chipre.

O voo MS804 levava 56 passageiros - entre eles três crianças -, sete tripulantes e três seguranças, segundo a companhia aérea. Havia entrado 16 km dentro do espaço aéreo egípcio quando perdeu contato com os radares.

Nas 24 horas anteriores ao acidente, a aeronave havia passado pela Eritréia, na África, pela Tunísia e pelo Egito.
Image captionPercurso da aeronave nas 24 horas anteriores ao acidente

Segundo o Departamento de Meteorologia da BBC, o tempo na região era bom no momento do desaparecimento, sem registro de tempestades.

Entre os passageiros havia 30 egípcios, 15 franceses, dois iraquianos e um britânico, além de cidadãos da Bélgica, Kuwait, Arábia Saudita, Argélia, Sudão, Chade e Portugal.

O Ministério das Relações Exteriores do Egito divulgou nota em que fez referência à "queda" do avião. O comunicado diz que os chanceleres do Egito e da França trocaram condolências e acordaram trabalhar em conjunto na apuração do caso.

Mais cedo, uma declaração da fabricante Airbus havia feito referência à "perda" do avião.Imagem: FLIGHTRADAR24
Imagem do site Flightradar24 mostra a rota percorrida pelo voo MS804 antes do desaparecimento

O governo francês convocou uma reunião para discutir a crise.

O primeiro-ministro do Egito, Sherif Ismail, foi até o aeroporto do Cairo para se encontrar com famílias de passageiros, informou a TV estatal do Egito Nile News. Em Paris, parentes de passageiros esperam notícias em um hotel próximo ao aeroporto Charles de Gaulle.

O especialista em aviação Alex Macheras disse à BBC que o Airbus A320 é uma aeronave "incrivelmente segura" e regularmente usada para voos de curta duração.

Espectro do terrorismo

Em março, um avião da EgyptAir foi sequestrado e desviado até o Chipre. O sequestrador se entregou e todos os passageiros foram liberados.

Em outubro de 2015, um avião de passageiros russo que decolara do balneário egípcio de Sharm el-Sheikh caiu sobre a península do Sinai, matando as 224 pessoas a bordo.

Autoridades em Moscou e no Egito concluíram depois que a aeronave fora derrubada por um artefato explosivo. O grupo extremista autodenominado Estado Islâmico reivindicou a autoria do ataque.

Para o correspondente de segurança da BBC, Frank Gardner, o "espectro do terrorismo" inevitavelmente ronda esse episódio.

"Embora ainda não haja evidência que indiquem um ataque malicioso, faz apenas sete meses que o grupo autodenominado Estado Islâmico colocou uma bomba que derrubou um avião de passageiros russo sobre o Sinai", disse Gardner, lembrando que o EI prometera continuar alvejando o Estado egípcio e ocidentais que visitam o Egito.

BBC
Compartilhe no Google Plus