Como é viver em cinco das cidades mais ensolaradas do mundo

Phoenix: EUA (Imagem: BBC)

Viver em uma das cidades mais ensolaradas do mundo – onde o tempo é bom mais de 90% do ano – tem suas vantagens óbvias: moradores mais felizes e descontraídos, e mais atividades de lazer ao ar livre.

Listados em um ranking da World Meteorological Organization, os lugares mais ensolarados da Terra se concentram no sudoeste dos Estados Unidos, no norte e no leste da Austrália, na África do Sul, no norte da África e no Oriente Médio.

Enquanto muitas dessas localidades são regiões desérticas e praticamente inabitadas, outras são metrópoles ou cidades de tamanho médio bastante vibrantes e cuja população é certamente invejada por tantos de nós que não temos a mesma sorte.

Conversamos com algumas dessas pessoas em cinco cidades.

1. Phoenix, Estados Unidos

Com exceção de Yuma, um pequeno vilarejo no sudoeste do Arizona, Phoenix, capital do mesmo Estado, tem mais dias ensolarados por ano do que qualquer outra cidade do mundo. Algo que pode ser visto como uma bênção, mas que só é notado quando se sai dali.

“Não tinha ideia de como o sol afetava meu humor até ir estudar por um ano em Bergen, na Noruega, um dos lugares mais chuvosos do planeta”, conta Catherine Capozzi, hoje de volta a Phoenix. “Sentia-me mais introvertida e melancólica, sem entender por quê. Até hoje, um diazinho de chuva é suficiente para tirar minha energia.”

O tempo quase permanentemente seco tem outras vantagens. “Os moradores do Arizona percebem no ar o cheiro peculiar da chuva do deserto, que ocorre quando a água cai sobre os arbustos nativos da nossa região. É um dos meus aromas favoritos”, diz Capozzi.

O sol, no entanto, pode assustar quem não tolera muito o calor nem a paisagem desértica dos arredores de Phoenix. “Mas quem fica se apaixona pelo pôr-do-sol, pelo tempo incrível no inverno, a comida mexicana fantástica, a simpatia das pessoas e uma vida relativamente barata”, lembra Capozzi.

O centro da cidade foi recuperado recentemente e agora é popular entre jovens profissionais, com suas feiras de orgânicos, cafés, food trucks e museus.

2. Darwin, Austrália

A temperatura média em Darwin é de 32ºC na maior parte do ano

Muitas das cidades mais ensolaradas da Austrália se concentram no chamado Northern Territory, uma área de baixa densidade demográfica. Alice Springs é banhada pelo sol cerca de 3,5 mil horas por ano, enquanto Tennant Creek recebe pouco mais que isso.

A capital regional, Darwin, recebe a luz solar 3.097 horas por ano, e abriga 150 mil habitantes que sabem curtir bastante esse privilégio.

“Você nunca tem que consultar a previsão do tempo porque faz sol e 32ºC quase todo dia”, diz Rick Delander, guia das agências de turismo Adventure Tours e Intrepid Travel.

Isso leva a um estilo de vida descontraído, com uma linguagem própria para acompanhar: são comuns as expressões “no worries” (“sem preocupações”), “too easy” (“tá fácil”) e “he/she’ll be alright, mate” (“vai dar tudo certo, amigo”).

Os moradores de Darwin chegam a passar oito meses sem ver a chuva. Novembro marca o início da estação quente e úmida, que faz com que a vegetação local se torne mais verde e exuberante. "É uma época do ano que a gente chama de 'temporada da estupidez', quando todo o mundo pega o que por aqui é conhecido como 'loucura tropical'", explica Delander.

O calor e a umidade intensos contribuem para um certo estresse e tensão, mas quando a chuva cai, “os habitantes voltam retomam seu estilo de vida normal e harmonioso”.

Em comparação a outras cidades australianas, Darwin é pequena, mas bastante esparramada. Próximo ao centro, o bairro de Nightcliff é bem popular, com praias, mercados e vistas para o mar. Já Fannie Bay é a área preferida de jovens famílias, com seus parques e jardins.

3. Nizwa, Omã

Em Nizwa, Omã, moradores curtem explorar montanhas e parques nos arredores

Localizado no lado leste da Península Arábica, Omã tem várias cidades ensolaradas, o que provavelmente explica “a atitude positiva das pessoas em relação à vida”. Essa é a definição da americana Nicole Brewer, que trabalha como professora em Nizwa e é autora do blog I Luv 2 Globetrot.

“Os habitantes de Omã são muito gentis e hospitaleiros. Para um país tão religioso e conservador, as pessoas até que são bem descontraídas. Tudo aqui é ‘inshallah’ (“Seja o que Alá quiser”), como uma maneira de dizer ‘o que tiver de ser, será, e não vou me preocupar por isso’”, conta.

Os inúmeros dias de sol incentivam os moradores de Nizwa a explorar os arredores da cidade. A 60 quilômetros ao norte, a montanha Jabal Akhbar, com seus 2 mil metros de altitude, é bastante procurada para caminhadas e campismo.

Nizwa também é famosa por seu suq, um grande mercado a céu aberto onde são vendidos artigos de porcelana e pratarias.

O sol constante também faz da chuva uma curtição. “Hoje mesmo choveu um pouco e meus alunos só queriam saber de acabar a aula e ir aproveitar o aguaceiro”, conta Brewer. “Eles ficam realmente contentes quando há nuvens no céu.”

Brewer mora em Hay Al Tourath, um bairro tranquilo bastante popular entre famílias e universitários.

4. Amã, Jordânia

Habitantes de Amã, na Jordânia, são vistos como simpáticos, mas não suportam falar do trânsito

Até mesmo no meio do inverno, quando a temperatura cai para uma média de 5ºC, o sol e um estilo de vida ao ar livre são as normas na Jordânia.

“O clima me incentiva a fazer praticamente tudo a pé”, diz Ghada El Kurd, diretora de desenvolvimento estratégico da Jawsaq Media and Art Production. Originária da Palestina, ela agora vive na capital jordaniana, que também é a cidade mais populosa do país.

“Nos fins de semana, a maioria das pessoas faz piqueniques ou sai para caminhadas no campo”, conta. Isso significa que os jordanianos são bastante amigáveis. “É só não mencionar o trânsito, que é uma loucura”, alerta a executiva.

Amã é também uma das 50 cidades mais caras do mundo, mas os moradores conseguem barganhas nos vários cafés que se alinham ao longo da história Rainbow Street. No bairro de Gardens, na parte nova da capital, é comum encontrar barraquinhas vendendo comida.

A chance de passar bastante tempo ao ar livre é uma das vantagens de morar em Amã. Em Tla’ Al Ali, bairro no oeste da cidade, tudo fica perto e não é preciso fazer grandes deslocamentos de carro. Outros bairros aconchegantes: Al Weibdeh, uma das áreas mais antigas da capital, e Shmeisani, uma região tranquila no noroeste.

5. Johanesburgo, África do Sul

Imagem: ALAMY
Maior cidade da África do Sul, Johanesburgo tem o clima mais ameno do país

A presença quase constante do sol nem sempre significa viver sob o calor constante. A maior cidade da África do Sul tem o clima mais ameno do país. “Raramente fica muito quente, muito frio ou muito úmido”, explica o sul-africano Jean Barnard.

Isso significa que é normal dar por garantido o clima ensolarado. “Das poucas vezes em que chove por mais três dias seguidos, nós ficamos muito mal-humorados”, diz Barnard.

Por causa do bom tempo, a maior parte dos habitantes de Johanesburgo aproveita o lazer ao ar livre, organizando braais (tradicional churrasco), comendo em restaurantes com terraços ou curtindo as piscinas que são comuns nas casas de classes média e alta.

Para Barnard, os moradores de Johanesburgo são mais acolhedores do que os da Cidade do Cabo. “É mais fácil ver pessoas puxando assunto com estranhos, o que pode levar a todo tipo de oportunidade”, afirma.

A vida na cidade não é exageradamente cara, principalmente para profissionais com boa formação.

Os subúrbios de Parkhurst e Parktown North vêm atraindo cada vez mais empresas e oferecem muitas opções de lazer.

BBC
Compartilhe no Google Plus