Caso de americano que vivia com grupo de 12 meninas intriga polícia

Lee Kaplan, de 51 anos, foi preso acusado de abuso sexual, corrupção de menores e atentado violento ao pudor; prisão foi motivada por denúncia de vizinha
Imagem: AP
Quando a americana Jen Betz via seu vizinho Lee Kaplan, de 51 anos, acompanhado por uma mulher muito mais nova do que ele, se sentia incomodada.

"Ela era muito nova para ser sua esposa", declarou ela à imprensa no Estado americano da Pensilvânia.

Jen diz que observava frequentemente o homem, com sua inconfundível barba farta, grisalha e desalinhada, caminhando pela rua com várias meninas, sempre de mãos dadas com uma delas.

A vizinha disse à CNN que relatou o caso à polícia diversas vezes.

Quando a polícia invadiu na sexta-feira passada a casa de Kaplan, no vilarejo de Feasterville, de apenas 3 mil habitantes, descobriu 12 meninas entre seis meses e 18 anos.

"Todas saíram correndo. Algumas se esconderam. Se comportavam bem, mas estavam temerosas", disse o policial John Krimmel.

A mais velha, que tem 18 anos e não foi identificada, disse à polícia que nove das meninas eram suas filhas com Kaplan, mas não tinha nenhum documento que provasse a conexão familiar.

Em seguida, afirmou que tinha um filho de três anos e outro de seis meses com Kaplan.

Mas esse é apenas um capítulo dessa intrigante história.

A mais de 100 km da casa, as autoridades detiveram Daniel e Savilla Stoltzfus, pais da jovem de 18 anos.
Recompensa financeira

O casal havia entregado a menina a Kaplan quando ela tinha 14 anos em troca de uma recompensa financeira.

Além disso, disseram ser pais de dez das meninas e avós de outras duas menores.

Os Stoltzfus pertenciam à comunidade amish (que seguem uma interpretação conservadora da Bíblia, levando um modo de vida pré-industrial: sem TV, internet, carro ou telefone), mas renunciaram à fé e em 2009 processaram a igreja que frequentavam.

No sótão da casa de Kaplan foram descobertos materiais de estudo - sugerindo que as meninas eram educadas em casa.

Ao que parece, o homem se dedicava a vender modelos de trens por meio do site eBay e tem uma companhia registrada em seu nome.

Imagem:GOOGLE EARTH
Foto aérea da localidade rural onde viviam Lee Kaplan e as meninas

Kaplan enfrenta acusações por abuso sexual, corrupção de menores, atentado violento ao pudor agravado, atentado ao puder e contato sexual com menores de idade, segundo o indiciamento do inquérito da polícia do condado de Bucks.

Já os Stoltzfus são acusados de pôr em perigo o bem-estar dos filhos e também enfrentam acusações como conspiração criminal e violência sexual.

A Justiça estabeleceu uma fiança de US$ 1 milhão (R$ 3,40 milhões) para os acusados.

Enquanto isso, as autoridades continuam investigando a identidade das meninas, que estão sob os cuidados de uma agência estatal de serviços sociais.

No entanto, o caso ainda continua a intrigar as autoridades.

"Não sabemos o que temos", disse o promotor David Heckler.

BBC
Compartilhe no Google Plus