Não há equilíbrio entre a vida pessoal e profissional de médicos, diz estudo



Segundo a psicóloga Catherine Hambley, um grande número de médicos não têm tempo adequado para balancear sua vida pessoal e profissional.

Ela está certa. 71% dos médicos que responderam à pesquisa Great American Physician disseram não ter tempo para si. Além disso, mais da metade dos pesquisados respondeu que possui um péssimo balanço entre a vida pessoal e profissional. Catherine Hambley mostrou uma prévia da pesquisa em uma matéria escrita para a Physicians Practice.

A maioria dos médicos trabalha entre 41 e 60 horas semanais, enquanto alguns passam das 80 horas, segundo a pesquisadora. Muitos profissionais gostariam de diminuir o tempo trabalhado, com 61% dizendo que eles fariam uma jornada parcial, se pudessem. Para muitos médicos, tempo é mais valioso do que dinheiro.

Alguns até deixariam de lado a especialização dos sonhos para ter mais tempo. Dos entrevistados, muitos disseram que escolheriam uma área que oferecesse mais tempo para equilibrar a vida pessoal e profissional, o que seria mais importante para eles do que o lucro financeiro.

‘’Frequentemente, os médicos pagam o preço pelo desequilíbrio entre a vida pessoal e profissional, o que pode resultar em fadiga, problemas de saúde, esgotamento e stress’’, disse Hambley. Porém, há formas dos profissionais aliviarem a pressão.

Os médicos podem começar avaliando suas prioridades e valores. Isso pode ser feito observando a vida pessoal e profissional e o próprio bem-estar deles e de suas famílias. Eles podem administrar seu tempo de trabalho baseado nesses valores, segundo Hambley.

Há também formas práticas para que os médicos melhorem o balanço entre a vida pessoal e profissional. Entre as recomendações da psicóloga estão:

Aprender a delegar: quando os médicos pegam toda a responsabilidade para si, é difícil tirar o trabalho da cabeça, mesmo estando em casa;

Deixar o e-mail para lá: a profissional indica que os médicos chequem seus e-mails somente três a quatro vezes por dia;

Aproveitar o tempo em família: levar o trabalho para casa pode ser prejudicial. Quem faz isso perde totalmente a linha que divide a vida pessoal e profissional;

Ouvir a equipe: se o médico trabalha em grupo, é importante ouvir as ideias da equipe. Isso pode otimizar um tempo que poderia ser gasto com a família e amigos.

Uma grande quantidade de horas trabalhadas (dentro e fora do consultório) pode dificultar o equilíbrio entre vida pessoal e profissional. Para descobrir novas formas de economizar tempo e viver de forma plena, não deixe de comparecer ao HIS – Hospital Innovation Show, e descubra o que a inovação pode fazer pelos seus processos.

Fonte: Portal do Médico
Compartilhe no Google Plus