Turismo: Fórum discute ações para tornar o RN um destino inteligente

Durante o Turistech, Sebrae, Ministério do Turismo e empresas do setor debatem as estratégias para consolidar o destino RN com presença digital, assim como toda a cadeia produtiva do turismo.

Natal – O Sebrae, parceiros e empresas têm o desafio de fazer no Brasil, até o próximo ano, o que já acontece na Espanha e tornar regiões em 19 estados, inclusive o Rio Grande do Norte, destinos turísticos inteligentes com base nas novas necessidades de consumo e demandas de serviços aos visitantes. Os Destinos Turísticos Inteligentes (DTI) foram o principal assunto da abertura do Turistech, fórum de turismo provido pelo Sebrae e que encerra nesta quarta-feira (25). O evento reúne 150 participantes no auditório da instituição para discutir as estratégias para se ter no estado um turismo inteligente e sustentável, principalmente negócios utilizando a inovação tecnológica como pilar de competitividade.

O secretário da Diretoria de Gestão Estratégica do Ministério do Turismo, Ítalo de Oliveira Mendes, participou da abertura do fórum e ressaltou o empenho do Sebrae no Rio Grande do Norte nesse tipo de turismo. “O Sebrae-RN, juntamente com o Sebrae Nacional, tem sido líder na discussão do assunto”. Ele participou do painel ‘O que são destinos turísticos inteligentes? Como os destinos e os pequenos negócios podem se destacar.

Durante a abertura, o diretor técnico do Sebrae-RN, João Hélio Cavalcanti, enfatizou a importância da interiorização para fortalecimento da atividade e, principalmente, de as empresas inseridas nesse segmento usarem a inovação e tecnologia como diferenciais competitivos. “Aqueles empreendimentos que têm alto grau de competitividade são os que vão ficar no mercado. Temos de criar caminhos para incorporar o que vem do novo, que, no turismo, vem de forma muito acelerada”.

A gestora da carteira de turismo do Sebrae Nacional, Germana Magalhães, veio ao estado participar do Turistech e apresentou a linha de atuação da instituição para fomentar o turismo inteligente no país, a partir da experiência vivida pela Espanha. Nos últimos anos, o país ibérico tem obtido resultados crescentes e qualitativos com a atividade turística. Para se manter na liderança e atento às mudanças do mundo, principalmente do comportamento do turista, desenvolveu a estratégia de destinos turísticos inteligentes. O Sebrae também se valeu desse conceito para apoiar os pequenos negócios brasileiros a se inserirem neste novo modelo de turismo.

Territórios inteligentes

Os destinos inteligentes possuem características específicas. Nessa abordagem, os destinos são competitivos e há uma forte aproximação entre os elos da cadeia de valor, incluindo as empresas dos segmentos que não são líderes. Os empreendimentos turísticos estão inseridos no mundo digital, surgindo novos modelos de negócio. Favorece o surgimento de soluções tecnológicas para as empresas e para os destinos turísticos, tendo conectividade e interatividade em ambos. O destino oferta experiências turísticas capaz de encantar os viajantes, com ocupação do espaço público, mas com sustentabilidade do lugar.

“O Sebrae tem esse papel de articulação, mas, primordialmente, a missão é desenvolver os pequenos negócios e, por isso, a estratégia do projeto Destino Turísticos Inteligentes é incentivar a adoção da inovação tecnológica por parte das empresas desse setor”, destaca Germana Magalhães. Em 2017, já são 53 projetos que visam atender pequenos negócios da cadeia de valor do turismo em 19 estados. No RN, o projeto envolve o litoral da Costa das Dunas, a Costa Branca e o Seridó. Os projetos têm duração de dois anos e propõem a implementação de um conjunto de ações, especificas para cada território, com objetivo de transformá-los em destinos turísticos inteligentes.

A gestora lançou no Turistech o novo conteúdo do Sebrae que trata da jornada desse novo turista que está conectado, envolvendo desde a pré-viagem até após a experiência, mostrando como os empreendimentos do setor – entre hotéis, pousadas, agências de turismo e passeios, guias, bares e restaurantes – podem usar essa conectividade para gerar engajamento e atrair mais clientes.

Agência Sebrae
Compartilhe no Google Plus