Como tratar infecções na região íntima na gravidez?


Como tratar infecções na região íntima na gravidez?

A candidíase costuma ser o problema mais comum entre as mulheres 

Na gestação, além de todas as transformações que ocorrem no corpo feminino, o sistema imunológico também sofre com as oscilações. Muitas mulheres na gravidez enfrentam alguns problemas de saúde, desde resfriados até infecções como é o caso da candidíase. Sabia que a candidíase na gestação é muito comum?

Na flora vaginal feminina há a presença de muitas bactérias, e na gestação, com as alterações hormonais bruscas que ocorrem, costuma ocorrer o desequilíbrio na flora vaginal, o que propicia a proliferação de fungos e o desenvolvimento de uma infecção como é o caso da candidíase ou monilíase. 

Especialistas afirmam que a cândida não prejudica a criança, mas é claro que cuidados devem ser tomados para o tratamento do problema, principalmente por conta dos incômodos. Em grávidas, a probabilidade da ocorrência da candidíase aumenta em dez vezes.

Quais os sintomas da Candidíase?

Geralmente os sintomas são: secreção branca em grande quantidade e que tem mau cheiro; coceira que pode estar concentrada na parte interna ou externa da vagina; pode apresentar dor, principalmente se a infecção estiver em estágio avançado e pode provocar feridas devido ao ato de a mulher coçar a região.

Tratamento da Candidíase na Gestação

Geralmente o próprio obstetra pode receitar os medicamentos para o tratamento do problema. No portal Trocando Fraldas é esclarecido que em quadros de candidíase na gestação, tanto os medicamentos usados para duchas externas, quando os cremes ou pomadas vaginais podem ser utilizados sem problemas e sem quaisquer riscos ao feto. Mas mesmo que os medicamentos possam ser utilizados livremente e até mesmo comprados sem receita em drogarias, é importante que a mulher utilize apenas o medicamento repassado pelo médico e de maneira alguma se automedique.

Em estágios iniciais do problema, o alívio pode ser sentido logo no primeiro momento após a utilização da pomada ou banho de assento. Já em casos de estágio avançado, no segundo dia a mulher já começa a sentir alívio, principalmente em relação ao sintoma da coceira e irritação.

Estudos científicos também apontam a relação da dieta com o surgimento do problema, acredita-se que carboidratos simples encontrados nos pães, macarrão, arroz, entre outros alimentos, poderia propiciar o desequilíbrio da flora intestinal, sendo assim, o mais recomendado seria recorrer aos alimentos integrais e evitar o consumo excessivo de carboidratos. 

Assessoria
Compartilhe no Google Plus