Mulheres que comem muito fast food podem ter dificuldades em engravidar

Mulheres que comem fast food com regularidade e deixam de lado o consumo de frutas têm maior probabilidade de desenvolver dificuldades para engravidar, segundo um estudo recém-publicado no periódico Human Reproduction.

A conclusão é de que uma dieta nutritiva aumenta a capacidade reprodutiva.

Uma pesquisa com 5.598 mulheres identificou que as que se alimentam de fast food quatro ou mais vezes por semana tendiam a demorar quase um mês a mais para engravidar do que as que comiam raramente ou nunca.

É importante ressaltar, porém, que o estudo tem limitações: foi baseado na lembrança do que as mulheres entrevistadas (de Austrália, Nova Zelândia, Reino Unido e Irlanda) comeram antes de no mês anterior ao início de suas gestações dos primeiros filhos.

Parteiras visitaram as entrevistadas entre a 14ª e a 16ª semanas de gravidez e perguntaram a elas a frequência com que comiam frutas, vegetais verdes e peixe - e também hambúrgueres, pizzas, frangos e batatas fritas e outras refeições de lanchonetes fast food.

Os pesquisadores descobriram que as mulheres que haviam comido fruta menos do que uma a três vezes em um mês levava, em média, um mês adicional para engravidar do que as que tinham o hábito de ingerir frutas três ou mais vezes por dia.

Conclusão é de que uma dieta nutritiva aumenta a capacidade reprodutivaImagem: Getty Images

Avaliando as chances de as mulheres não engravidarem no período de um ano, os pesquisadores identificaram que, na média geral, essa possibilidade era de 8% entre as entrevistadas. Mas essa porcentagem subia para 12% entre as mulheres que comiam poucas frutas e 16% das que consumiam fast food excessivamente (quatro ou mais vezes por semana).

"Os resultados mostram que uma dieta de qualidade, com muitas frutas e mínimo consumo de fast food, melhora a fertilidade e reduz o tempo de se engravidar", afirmou Claire Roberts, líder do estudo e professora da Universidade de Adelaide, na Austrália.
Peixe e vegetais

Ao mesmo tempo, causou surpresa nos pesquisadores o fato de eles não encontrarem vínculos entre o tempo de engravidar e a ingestão de folhas verdes e peixe.

Só foram identificados, portanto, os efeitos "protetores" das frutas: "Frutas e vegetais contêm uma variedade de antioxidantes e fitoquímicos que podem beneficiar a fertilidade", diz a pesquisa. "Como apenas questionamos (as entrevistadas) a respeito de folhas verdes, e não de outros tipos de vegetais, não capturamos o consumo total de vegetais, potencialmente limitando (nosso conhecimento sobre) o impacto que eles podem ter na fertilidade."

É possível, também, que outros fatores externos tenham afetado os resultados da pesquisa. Mas os estudiosos afirmam que há amplas evidências de que a dieta da mulher afeta suas chances de ficar grávida.

"Em geral, o estudo sustenta algo que muitos profissionais da saúde já dizem de modo intuitivo: refeições saudáveis são benéficas para casais que estejam tentando ter filhos", afirmou o médico Gino Percoraro, da Universidade de Queensland, não envolvido na pesquisa.

Para não interferir com os resultados, casais foram excluídos da pesquisa caso o homem estivesse sob tratamento por infertilidade.

BBC
Compartilhe no Google Plus