Parque da Cidade lança projeto de preservação do Pau Brasil nesta quinta-feira



Parque da Cidade - Imagem: Willen Moura


Parque da Cidade lança projeto de preservação do Pau Brasil nesta quinta-feira

No próximo dia 3 de maio, quinta-feira, comemoramos o Dia do Pau-Brasil. A árvore-símbolo do Brasil está na lista das espécies ameaçadas de extinção e o Parque da Cidade Dom Nivaldo Monte quer colaborar para reverter esse diagnóstico lançando o projeto "Preservando o Pau Brasil", com um mutirão de plantação de mudas da espécie, que vai acontecer das 8h às 9h. 

As mudas foram produzidas pelo Centro de Produção de Mudas do Parque da Cidade/Horto Pitimbu e serão plantadas numa área degradada próxima à academia ao ar livre. "O projeto é um trabalho de conscientização ambiental junto às escolas que visitam o Parque da Cidade e consiste em um compromisso de plantar 1000 mudas de Pau Brasil até o final de 2019. O Parque da Cidade tem a expectativa de plantar mais de 2000 mudas de espécimes da mata Atlântica neste ano de 2018", informa o gestor do Parque da Cidade, Carlos da Hora. 

Data Comemorativa

O Dia do Pau-Brasil foi criado em dezembro de 1978 com a Lei 6.607, que definiu a espécie como Árvore Nacional e o 3 de maio como sua data comemorativa. Devido à exploração predatória, desde o descobrimento, dos milhões de exemplares que existiam no país restaram poucos em alguns estados brasileiros e quase a levou à extinção. A exploração do Pau-Brasil foi a primeira atividade econômica dos europeus no Brasil. A cor avermelhada de sua madeira chamou a atenção naquela época, pois era considerada perfeita para tingimento de tecidos e fazer esculturas, mesas e santos, além de ser usada até hoje para a confecção de arcos de violinos. 

As árvores se cobrem de flores amarelas de outubro a novembro, e podem atingir a até 30 metros de altura na floresta nativa. A madeira é muito pesada, lisa e dura e, por isso, muito cobiçada para a construção naval e marcenaria de luxo. De qualquer forma, o Pau-Brasil ainda resiste em nossas florestas do país e assim como qualquer outra espécie vegetal deve ser respeitada e protegida. Ainda hoje, com planos de manejo, o Pau-Brasil continua sendo exportado em pequenas quantidades. 

Presente na lista oficial da flora brasileira ameaçada de extinção, desde 1992, o Pau-Brasil (Caesalpinia echinata Lam) também é conhecido por ibirapitanga, pau-vermelho, pau-de-pernambuco, arabutã, ibirapitã, muirapiranga, orabutã, pau-rosado e pau-de-tinta. O nome científico Caesalpinia é uma homenagem ao médico e botânico italiano Andrea Cesalpino, que viveu no século XVI.Echinata significa "cheio de espinhos" em latim, e Lam é a abreviatura de Lamarck que, em 1789, descreveu a espécie pela primeira vez.

Segundo alguns historiadores, o nome Brasil se originou dessa característica e depois batizaram nosso país também com esse nome. Já outros, dizem que por causa da grande importância econômica do Pau–Brasil, a partir de 1511, na Europa, já não mais se referiam ao nosso país como Terra de Santa Cruz e passaram a chamar de Terra do Brasil e logo em seguida apenas Brasil.

Compartilhe no Google Plus