Presidente da Interpol viaja à china e desaparece

Presidente da Interpol, Meng Hongwei, em Lyon, França, em maio de 2018. Jeff Pachoud / Pool via Reuters

Meng Hongwei, Presidente da Interpol e cidadão chinês, foi dado como desaparecido depois de ir ao seu país em 29 de setembro, segundo a Reuters, citando fontes judiciais francesas sem nome.

A esposa de Meng contatou a polícia em Lyon - onde mora o casal e onde a Interpol está sediada - depois de não ter notícias do marido desde que ele viajou para o país

Desde então, a polícia francesa abriu uma investigação sobre seu paradeiro.

Meng, que anteriormente serviu como vice-ministro de segurança pública da China, foi eleito para liderar a organização policial internacional em 2016. Seu mandato está previsto para vigorar até 2020, segundo o site da Interpol .

Grupos de direitos humanos disseram anteriormente que Pequim poderia usar a posição de Meng para prender e deportar seus críticos no exterior.

A Interpol

A Interpol é a agência internacional de policiamento, que ajuda os oficiais em diferentes jurisdições a perseguir criminosos em todo o mundo. A polícia na França - onde a Interpol está sediada - abriu uma investigação sobre seu paradeiro.

A Business Insider que é um veículo de imprensa a nível mundial, tentou entrar em contato com a Interpol, o Ministério da Justiça da França e a Embaixada da China em Londres para comentar o assunto, porém, até agora não obtiveram informações conclusivas.

Com Informações da Business Insider
Compartilhe no Google Plus