Brócolis contém substâncias que previnem câncer e ajudam pacientes em quimioterapia

Resultado de imagem para Brócolis contém substâncias que previnem câncer e ajudam pacientes em quimioterapia
Você sabia que o brócolis pode ajudar a prevenir o aparecimento de tumores malignos no organismo humano e ainda auxiliar pacientes em tratamento contra o câncer a driblar os efeitos dos tratamentos quimioterápico e radioterápico? Pois é, além de ser um alimento rico em vitaminas e antioxidantes, o brócolis também tem esses “super-poderes” que pouca gente conhece.

O brócolis é um vegetal rico em glucosinolatos, substância que após passar pelo processo de hidrólise enzimática (no caso da ingestão, a mastigação promove esse processo), se transforma em sulforafano, que já se provou ser um dos agentes quimiopreventivos mais potentes que agem dentro das células, e em Indol 3 Carbinol, fitonutriente que age como antitumoral, anti-inflamatório, antineoplásica e antioxidante.

De acordo com o biomédico Henrique César Santejo Silveira, pesquisador do Hospital do Câncer de Barretos, essas substâncias são poderosas inibidoras da multiplicação tumoral maligna. “Por suas características já comprovadas cientificamente e por se tratar de um produto neutracêutico [rico em nutrientes], o brócolis é chamado na medicina de quimiopreventivo verde”, explica o especialista. “Estudos in vitro mostraram que suas substâncias podem suprimir a proliferação de diferentes células tumorais do câncer de mama, próstata, endométrio e colón”.

Silveira diz que as substâncias, como o Indol 3 Carbinol, por exemplo, agem na regulação de hormônios, reparação de DNA, divisão celular, crescimento, angiogênese, inflamação e resistência a múltiplos medicamentos. “Por isso, ela também é muito benéfica para quem já realiza algum tratamento quimioterápico ou radioterápico, que têm inúmeros efeitos colaterais”, disse o biomédico. “Uma dieta rica em crucíferas ameniza os efeitos colaterais desses tratamentos também”.

Dentre as crucíferas (couve, rúcula, agrião, couve de bruxelas, couve-flor, mostarda), segundo o pesquisador, o brócolis foi o produto que apresentou os melhores resultados e é o mais rico em sulforafano, indol 3 carbinol, tiocianato, isotiocianato, zeaxantina e luteína, que são antioxidantes poderosos. “Sabemos que apenas 10% dos casos de câncer têm origem em fatores hereditários. Os outros 80% são desencadeados por fatores ambientais, ou seja, da relação que os homens têm com a poluição do ar, os hábitos de consumo, estilo de vida (sedentarismo) e outros 10%, de interações químicas, medicamentosas e alimentares”.

Questionado sobre contra-indicações, Santejo afirmou que dificilmente o vegetal poderia causar algum tipo de problema, a não ser que haja o excesso no consumo. “Se alguém consumir quatro cabeças de brócolis por dia, pode ter um problema, principalmente na glândula tireoide. Estamos falando de porções de 300 gramas, 500 gramas por semana”, alerta. O biomédico diz que consumir 3 a 5 porções de crucíferas por dia inibe o crescimento das células cancerígenas.

Dados os fatos, só nos resta desenterrar o caderno de receitas da gaveta e procurar os mais variados tipos de pratos que levam brócolis. Eu, particularmente, gosto dele com molho branco, e você?

Imagem de silviarita por Pixabay
Com informações de Globo Rural
Compartilhe no Google Plus