Evento é criticado por colocar crianças desfilando em passarela para serem adotadas

Resultado de imagem para Evento é criticado por colocar crianças desfilando em passarela para serem adotadasUm evento realizado na noite da última terça-feira, 21, vem rendendo discussões acaloradas na internet. Na ocasião, o evento chamado “Adoção na passarela” pôs mais de 20 crianças, com idades entre 4 e 17 anos, para desfilar em uma passarela. Todas elas aguardam por adoção em Cuiabá.


Logo que o evento foi divulgado, muitas pessoas usaram as redes sociais para manifestar a sua indignação com a proposta do evento. “Um horror o que estão fazendo. Está parecendo leilão humano. Me perdoem pelas palavras”, disse uma pessoa.

Outro pessoa declarou: “É triste isso. Se coloca no lugar delas ou deles. Estão ansiosos para achar um lugar que possa dar um pouco de carinho, e ainda tem que passar por mais um constrangimento desses”.

Um dos críticos é o advogado criminalista Eduardo Mahon. Jurista, poeta, escritor e ligado às questões culturais de Mato Grosso, ele fez uma postagem em forma de desabafo no Facebook.

“Parece-me uma antiga feira de escravos, onde os senhores viam os dentes e o corpo dos africanos para negociar o lance. Não acho legal, aliás, acho péssimo”, disse ele.

O evento “Adoção na passarela” foi organizado pela Associação Mato-grossense de Pesquisa e Apoio à Adoção (Ampara), realizado no Shopping Pantanal Shopping, às 19h.

Durante a divulgação do evento, a presidente da Comissão de Infância e Juventude da OAB-MT e da Comissão Nacional da Infância, Tatiane de Barros Ramalho, disse ao site olhardireto.com.br: “Será uma noite para os pretendentes – pessoas que estão aptas a adotar – poderem conhecer as crianças, a população em geral poderá ter mais informações sobre adoção e as crianças em si terão um dia diferenciado em que elas irão se produzir, cabelo, roupa e maquiagem para o desfile. Na última edição, dois adolescentes, um de 14 e o outro de 15, foram adotados. E esperamos novamente dar visibilidade a essas crianças e adolescentes que estão aptas a adoção. E como sempre dizemos: o que os olhos veem o coração sente”, concluiu a presidente.

Com informações de O Bom da Notícia
CONTI OUTRA
Compartilhe no Google Plus