Como anda a sua relação com o dinheiro?

A nossa relação com o dinheiro é bem mais profunda do que a lógica matemática de que, para se viver bem, precisa-se “gastar apenas o que se ganha”. Há vários fatores que influenciam na vinda – e na permanência – do dinheiro nas nossas mãos, e tomar consciência disso pode fazer muita diferença na nossa prosperidade.

O dinheiro é uma energia, e podemos desenvolver habilidades para ter uma boa relação com ele. Segundo as Constelações Familiares, é importante, por incrível que possa parecer, ter uma boa relação com nossos pais para termos abundância financeira. Pois, se ficarmos numa postura de cobrança para com o nosso pai ou a nossa mãe, pensando em como as coisas deveriam ser diferentes, que eles deveriam ter nos dado mais disso ou daquilo, ou que deveriam ouvir as nossas “recomendações” do que é melhor para a vida deles, ficamos numa frequência de carência, e o dinheiro não se faz presente na nossa vida. Precisamos, pois, nos harmonizar internamente com os nossos pais e sermos gratos pela vida que eles nos deram – que já é mais do que o suficiente para que irmos, por nós mesmos, atrás de todo o resto.

Outro ponto fundamental para a prosperidade financeira é buscar o equilíbrio nas trocas, entendendo que as negociações devem manter uma importante equanimidade, de modo que se pague por elas o que realmente valem. Devemos, assim, ficar longe de “tirar vantagens”, ganhar a mais do que merecemos e “chorar” descontos que sabemos não serem justos. Isso tudo afasta o dinheiro da nossa vida. É prezar pelo chamado “equilíbrio entre o dar e o receber”. Não se deve cobrar ou pagar nem a mais, nem a menos do que seja o valor do produto, serviço ou conhecimento fornecido ou adquirido.

Também é fundamental não vermos o dinheiro como um “problema” ou como algo “difícil”, ou “do mal”. Precisamos nos harmonizar com o dinheiro e não fugir de olhá-lo nos olhos, encarando as nossas contas, os nossos rendimentos e abençoando tudo o que entra e o que sai na nossa vida, em termos financeiros. Precisamos manter uma postura respeito, carinho e gratidão para com o dinheiro, tanto o que recebemos, quanto o que gastamos.

É importante também compreender que a energia da prosperidade implica movimento. Precisamos nos doar, verdadeiramente, aos outros, para que o dinheiro surja. Se trabalharmos apenas focados nos ganhos financeiros, e não no benefício que geraremos às outras pessoas, não seremos prósperos.

Bert Hellinger, “pai” das Constelações Familiares, afirma que o dinheiro é vida, é algo espiritual, sendo que ninguém pode sobreviver na sociedade sem dinheiro. Ele assevera que o dinheiro quer ficar com aqueles que o ganharam honestamente e que o multiplicamos quando o usamos “a serviço da vida”, pois ele se alegra em ser gasto com algo bom , que leva a vida adiante, e retorna a nós “ainda mais rico”.

Ainda, ele salienta que ter dinheiro é ter uma responsabilidade. A responsabilidade de movimentar a nossa vida, assumir as nossas decisões e caminhar pelas nossas próprias pernas.

Desta forma, se quisermos ter prosperidade e abundância, devemos largar a postura de carência e tratar o dinheiro como uma energia, respeitando-o, vendo-o positivamente, sendo grato pela sua existência, o movimentando-o de forma benéfica a nós e aos outros, respeitando o equilíbrio entre o dar e o receber e tendo responsabilidade na sua utilização, sempre a serviço da VIDA.

The post Como anda a sua relação com o dinheiro? appeared first on CONTI outra.



source https://www.contioutra.com/como-anda-a-sua-relacao-com-o-dinheiro/
Compartilhe no Google Plus