África planta 8 mil quilômetros de árvores para construir a Grande Muralha Verde

A iniciativa busca conter os efeitos das mudanças climáticas no mundo e devolver a vida ao deserto.

Agosto estava começando e 399 voluntários de 27 países diferentes estavam prontos para chegar ao canto remoto do norte do Senegal, na África, para participar de um dos esforços mais ousados do mundo para combater os efeitos das mudanças climáticas: reflorestar 247 milhões de acres de terra em todo o país.

O projeto Grande Muralha Verde, liderado pela União Africana e financiado pelo Banco Mundial, União Européia e Nações Unidas, foi lançado em 2007 para impedir a expansão do Saara, plantando uma barreira de árvores de 4.815 milhas ao longo do seu extremo sul.

Mas, à medida que aumentam as preocupações com o impacto das mudanças climáticas, o projeto busca um novo objetivo.

Weeding in Koyli Alpha 

A meta agora, dizem seus projetistas, é transformar a vida de milhões de pessoas que vivem na linha de frente das mudanças climáticas, restaurando terras agrícolas arruinadas por décadas de uso excessivo. A partir do projeto, alimentos serão fornecidos, conflitos serão interrompidos e a migração será reduzida.

Quando o projeto for concluído em 2030, espera-se que a terra restaurada absorva cerca de 250 milhões de toneladas métricas de dióxido de carbono da atmosfera, o equivalente a manter todos os carros da Califórnia estacionados por 3 anos e meio.

O movimento busca fazer crescer a Muralha: uma maravilha natural de um total de 8 mil quilômetros em toda a África.

Land in Mbar Toubab, Senegal, which was plowed in anticipation of the planting of seedlings for the Great Green Wall 

“Já se passou uma década e estamos com aproximadamente 15% em andamento, a iniciativa já está devolvendo vidas a paisagens degradadas na África em uma escala sem precedentes, fornecendo segurança alimentar, empregos e uma razão para ficar no país”. Conta a organização em seu site.

Uma vez concluída, a Grande Muralha Verde será a maior estrutura viva do planeta, três vezes o tamanho da Grande Barreira de Corais, o maior recife de coral do mundo, localizado na Austrália.

Mais do que apenas cultivar árvores e plantas, a Grande Muralha Verde está transformando a vida de milhões de pessoas na região do Sahel.

enegal- El Haji Gouebiaby, Base Chief for the Great Green Wall, stands beside a growing lemo; a base chief for the Great Green Wall tends to a lemon tree in Mbar Toubab 

Com informações de UPSOCL
CONTI OUTRA
Compartilhe no Google Plus