17 fatos dos bastidores de “Coringa” tornam o filme uma obra-prima ainda maior.

A nova versão do filme “Coringa”, estrelada por Joaquin Phoenix, deixou todos os fãs do personagem extremamente empolgados, nostálgicos e até mesmo empáticos com sua dor, a tal ponto de entender seus horríveis crimes.

O filme que anda surpreendendo a maior parte do público é uma produção que agrada tanto os fãs da história em quadrinhos como aqueles que nem mesmo sabem a história do Coringa e do querido super-herói, Batman.

Aqui estão 17 fatos que aconteceram atrás da câmera e que fizeram com que o filme se tornasse ainda melhor. Esses pequenos detalhes transformaram o longa metragem numa obra-prima e deixaram a história ainda mais tensa e perturbadora.

Alguns pequenos SPOILERS podem aparecer nesta matéria. Portanto, se você ainda não viu o filme e não quer descobrir nada antes, é melhor parar de ler.

1. Para interpretar o Coringa, Joaquin Phoenix teve que seguir uma dieta rigorosa para perder 23 quilos.

De acordo com a Vanity Fair, ele trabalhou com o mesmo médico que o ajudou a perder peso para “The Master” e, após as filmagens, recuperar mais de 11 kg. 

2. O papel de Arthur Fleck foi escrito com o ator Joaquin Phoenix em mente, já sendo o protagonista

O ator recebeu o roteiro no final de 2017 e até mandou sua mãe revisá-lo antes de decidir filmar. O personagem foi literalmente feito para o ator. 

3. Phoenix disse que não viu nenhuma das versões anteriores do personagem para se preparar

“Era algo que parecia nossa criação, e isso era importante para mim”, explicou ele durante a conferência de imprensa do Festival de Veneza. 

4. Em vez disso, ele estudou os movimentos de grandes estrelas do cinema mudo como Buster Keaton e Ray Bolger

Ele também se inspirou no espantalho de O Mágico de Oz . 

5. Embora seja bastante óbvio, muitos filmes do final dos anos 70 e início dos 80 foram de grande influência neste filme e muitas semelhanças visuais podem ser observadas


Todd Phillips (director) falou especificamente sobre filmes como “Taxi Driver”, “The King of Comedy”, “Serpico”, “Raging Bull” e “One Flyw Over the Cuckoo’s Nest”.

6. O enredo do filme, que segue um comediante fracassado, foi baseado na famosa graphic novel “Batman: The Killing Joke”

Esse romance foi considerado uma das histórias definitivas do Batman contra o Coringa, que também é uma das HQ’s mais populares da história.

7. O filme mudo “O homem que ri” também foi uma das principais influências durante as filmagens


8. A maquiagem de palhaço de Arthur foi feita para parecer “velha”, então seus lábios foram pintados de marrom avermelhado, o que também ajudou a parecer sangue

De acordo com o chefe de maquiagem Nicki Ledermann, “até seu sorriso torto é uma metáfora de que nem tudo é perfeito”.

9. O roteiro mudou várias vezes durante os dias e até mesmo antes das filmagens, então os atores tiveram que se adaptar e improvisar alguns dos diálogos

Segundo o diretor Todd Phillips, a personagem de Zazie Beetz, Sophie, tornou-se a pessoa que mais improvisou nas filmagens. Ele parabenizou Beetz por ser incrível e ressaltou “Ela esteve a todo momento super disposta a fazer esse tipo de improvisação, nunca parou, ficou entusiasmada com as mudanças e apoiou o diálogo de seu personagem, foi uma bela colaboração”.

10. Antes de filmar, o diretor disse a Phoenix que havia imaginado a risada do curinga quase como algo doloroso.

Phoenix praticou muitos tipos diferentes de risadas e fez uma “audição” delas para Phillips, a seu próprio pedido.

11. Há pelo menos três risadas diferentes do Coringa: a risada de “dor”, a risada para “se encaixar” e, finalmente, a risada de “verdadeiro prazer”


12. Embora Robert DeNiro seja um dos atores americanos favoritos de Phoenix, eles mal trocaram palavras no set

Em parte devido a seus métodos de atuação semelhantes.

13. De fato, houve um pouco de tensão entre os dois porque DeNiro insistiu que o elenco fizesse uma leitura do roteiro antes de filmar suas cenas, enquanto Phoenix não queria, mas precisou.

Apesar das diferenças, eles finalmente chegaram a um acordo e tudo correu bem.

14. Phillips pediu a musicista Hildur Guðnadóttir que compusesse a música do filme, o que normalmente não é feito nas produções cinematográicas.

Ela também criou a música para a série da HBO, “Chernobyl”.

15. E a música de Guðnadóttir era tocada frequentemente no set para ajudar a criar o ambiente certo


16. De fato, sua música inspirou a cena de dança no banheiro

No roteiro, Arthur simplesmente corre para o banheiro, esconde a arma e lava o rosto. Mas Phillips tocou a música de Guðnadóttir enquanto filmavam e Phoenix simplesmente começou a fazer os movimentos de dança, e assim foi na versão final.

17. Embora muitos atores anteriores se voltassem para lugares obscuros para se inspirar e desempenhar o papel de Joker, Phoenix disse que não tinha essa experiência.

“Não foi uma luta, foi legal e muito enriquecedor”, disse o ator.

Com informações de UPSOCL
Texto traduzido e adaptado pela CONTI outra. 
Compartilhe no Google Plus