Garotinho defende amigo negro de bullying em festinha e atitude viraliza

A professora e filósofa estadunidense Angela Davis já disse: Não basta não ser racista. É necessário ser antirracista”. Quando esbarramos com qualquer situação em que alguém é diminuído, humilhado ou injustiçado devido à cor da sua pele, não podemos nos calar. É preciso agir! E quem parece ter bem claras essas noções, apesar da pouca idade, é um pequeno morador de Marília, no interior de São Paulo. Ao ver seu amiguinho sofrer bullying em uma festinha de aniversário, ele o defendeu até o último momento e conseguiu livrar os dois da situação. Ele mandou uma mensagem de Whatsapp ao seu pai relatando todo o ocorrido. “Eu não fiz bully não ta eu defendi ele e falei pra para”, disse o garoto.

O menino contou ao pai que seu melhor amigo estava sofrendo bullying em uma festinha de aniversário por ser negro e por ser gordinho. Mateus Barboza, pai do garoto, ficou tão orgulhoso da iniciativa do filho em defender seu amigo que resolveu postar a mensagem dele nas redes sociais, e foi aí que a conversa entre os dois viralizou e nos deu uma lição de empatia e de como é importante não se calar diante daquilo com que não concordamos na postura daqueles que nos rodeiam.

O garoto não fingiu que nada aconteceu. Demonstrou seu descontentamento até para o pai do aniversariante.

“Agora a gente ta aqui sozinho. Pai quando você vim pega o Rafa também pra gente não deixa meu amigo sozinho.”
O post com a conversa entre pai e filho já soma mais de 150 mil reações e mais de 120 mil compartilhamentos.

Mateus Barboza diz estar feliz com a postura do filho em defender o amigo e deixou uma reflexão: nenhuma criança nasce preconceituosa, mas aprende a reproduzir preconceitos com os mais velhos, muitas vezes, dentro da própria casa.

“Extremamente triste com a situação, mas, por outro lado, feliz pela atitude do meu filho em não se juntar aos outros meninos. Mas fica a reflexão: nenhuma criança nasce preconceituosa e muito menos agressiva, ou seja, ela aprende isso de alguma forma e na maioria das vezes é em casa, na educação que os pais dão e principalmente no comportamento deles. Então, pensem bem no tipo de exemplo que vocês pais dão a seus filhos”, escreveu o pai orgulhoso.


Com informações de Razões para Acreditar
Fotos: Reprodução/Facebook
CONTI OUTRA
Compartilhe no Google Plus