Páscoa: Consumo exagerado de chocolate causa zumbido no ouvido

Segundo a Dra. Tanit Ganz Sanchez, presidente da Associação de Pesquisa Interdisciplinar e Divulgação do Zumbido - APIDIZ, o chocolate causa o zumbido e também pode comprometer pessoas que já estão em tratamento. A médica indica que o consumo do doce deve ser com moderação

O chocolate é consumido diariamente por muitas pessoas, sendo inclusive considerado irresistível por aquelas que são chamadas de chocólatras. Os dados do IBOPE Mídia indicam que as mulheres lideram o consumo de chocolates e representam 55% dos consumidores. Além disso, o Brasil é o quarto maior consumidor da iguaria no mundo, segundo estudo da Associação Brasileira da Indústria de Chocolates, Cacau, Amendoim, Balas e Derivados (ABICAB).

Porém, um dos maiores problemas esperados para a saúde com o consumo exagerado de chocolate, como nos tempos de Páscoa, não é somente o aumento do peso e a aparição de espinhas. Os ouvidos também podem sofrer com o consumo em excesso. O zumbido, um problema que já atinge 30 milhões de brasileiros, segundo a estimativa da Associação de Pesquisa Interdisciplinar e Divulgação do Zumbido – APIDIZ, é o principal sinal de alerta para algo errado no organismo. Pode parecer um som de apito, chiado, cachoeira, panela de pressão, motor ou grilo, e é mais percebido à noite,  impossibilitando uma boa noite de sono e uma vida normal.


Como o chocolate pode causar zumbido: Segundo a Dra. Tanit Ganz Sanchez, que é a fundadora e presidente da APIDIZ"o chocolate tem substâncias que podem agredir os ouvidos, como o açúcar e a cafeína. Em alguns organismos, quando o açúcar (glicemia) aumenta no sangue depois da ingestão de doces, o pâncreas passa a produzir mais insulina do que o necessário para controlar a quantidade de açúcar presente. Essa insulina em excesso é o grande vilão do ouvido, pois provoca uma bagunça bioquímica e atrapalha o funcionamento normal. Nas pessoas que têm zumbido por problemas de metabolismo de açúcar ou cafeína, nós restringimos o chocolate por 30 dias para que o ouvido possa se recuperar", explica a médica.

Tempo que começa a aparecer os primeiros sintomas: Já a cafeína, também encontrada nos chocolates, acelera o sistema nervoso e como o zumbido já é, por natureza, um "ritmo acelerado", ele pode aparecer ou piorar ainda mais. "Isso acontece cerca de 1 hora após tomar a cafeína, que é encontrada não apenas no chocolate, mas também no chá preto e no mate, no refrigerante, nos estimulantes e no chimarrão e a esse consumo o ouvido reage causando zumbido ou tontura", complementa Dra. Tanit Ganz Sanchez, que é a pesquisadora pioneira dos estudos sobre o zumbido no ouvido no Brasil e já os realiza há mais de 20 anos.
O zumbido pode ser temporário: Se a pessoa apresentar o zumbido após a ingestão do chocolate durante a Páscoa, ele tende a ser temporário. "Em algumas pessoas ele desaparece, porém outras precisam recorrer a tratamentos específicos, principalmente se a pessoa substitui o chocolate por outro tipo de doce, que também causa o zumbido".
Dra. Tanit Ganz Sanchez, indica alguns cuidados necessários para evitar o zumbido causado pelo excesso de chocolate.


1- Comer com moderação, pois não existe um número mágico de peso, quadradinhos ou barras para consumo; 

2 - Dê a preferência para chocolates com pelo menos 70% de cacau;

3 - Substitua pelos chocolates diets;

4-  O alfarroba, que é um substituto do chocolate e não tem açúcar, glúten ou lactose pode ser consumido, porém, com moderação por qualquer pessoa.

Profa.  Dra. Tanit Ganz Sanchez, Otorrinolaringologista com doutorado e livre-docência pela USP, Diretora-Presidente do Instituto Ganz Sanchez, Presidente da Associação de Pesquisa Interdisciplinar e Divulgação do Zumbido (APIDIZ), Criadora da Campanha Nacional de Alerta ao Zumbido (Novembro Laranja) e do Grupo de Apoio Nacional a pessoas com Zumbido (GANZ). Assumiu a missão de desvendar os mistérios do zumbido e é pioneira nas pesquisas no Brasil, sendo reconhecida por sua didática, objetividade e compartilhamento aberto de ideias. É especialista em Zumbido, Hiperacusia, Misofonia e Distúrbios do Sono.

Assessoria
Compartilhe no Google Plus