Cuidados na Páscoa: Você sabia que chocolate é tóxico para cães e gatos?

Festas e comemorações são momentos para se ter ainda mais atenção com os animais de estimação. Com a chegada da Páscoa é importante que os tutores fiquem atentos para evitar que o chocolate se torne um grave problema. Os pets podem apreciar o sabor adocicado do chocolate e, acidentalmente, ingerir o produto que, em grande quantidade, é tóxico aos cães e gatos.

A teobromina, substância presente no cacau, pode causar intoxicação quando ingerida em alta quantidade, resultando em vômito, diarreia e outras manifestações clínicas. Isso significa que os chocolates mais escuros e amargos, que contém maior percentual de cacau, são os mais tóxicos para os animais. No entanto, o chocolate ao leite e o chocolate branco também fazem mal e não devem ser oferecidos aos pets. É importante lembrar que a quantidade necessária para causar a intoxicação varia de acordo com o tamanho do animal, estado de saúde, sensibilidade individual e o tipo de chocolate ingerido.

Mas, o chocolate não é o único vilão que requer atenção. Outros alimentos também são tóxicos e podem sinalizar perigo para a saúde e bem-estar dos pets. Alho, cebola, noz macadâmia, comida gordurosa, entre outros, podem ser letais para cães e gatos.

A Mars Petcare, líder global em alimentos para animais de estimação e que tem como compromisso fazer do mundo um lugar melhor para os pets, listou algumas informações sobre alimentos tóxicos e procedimentos que devem ser seguidos em caso de intoxicações alimentares em cães e gatos:

· Cuidado com os alimentos para humanos. O alho e a cebola são altamente tóxicos, com substâncias que rompem os glóbulos vermelhos e, assim, causam anemia nos animais. A teobromina, presente no chocolate, é tóxica para cães quando consumida em grandes quantidades. Outros alimentos como abacate e uva também trazem perigo. No caso da uva, se ingerida em grandes quantidades, pode causar lesão renal.

· Os sintomas de intoxicação podem ser diferentes para cada alimento. O chocolate, quando consumido em pequenas quantidades, pode causar vômito, diarreia, agitação e aumento da frequência urinária. Quando consumido em quantidade maior, os cães podem apresentar espasmos musculares, convulsões e taquicardia, podendo levar a morte. Geralmente os sintomas de intoxicação ocorrem cerca de 4 a 5 horas após o cão consumir o chocolate ou algum alimento que contenha chocolate. Já nos casos de cebola e alho, o animal pode apresentar anemia devido a destruição dos glóbulos vermelhos.

· Ao apresentar os sintomas de intoxicação, o tutor deve levar o animal imediatamente ao Médico-Veterinário para que o tratamento adequado possa ser realizado. Mesmo que o pet tenha ingerido pequenas quantidades, é importante comunicar o Médico-Veterinário, que vai avaliar e recomendar o melhor tratamento a ser seguido.

· O risco de morte depende do alimento, da quantidade ingerida e da saúde e sensibilidade de cada animal. No caso do chocolate, quando ingerido em alta quantidade, o aparecimento de convulsões significa um prognóstico ruim na maioria dos casos e, muitas vezes, podem resultar em morte.

· No caso de vômito, o tutor deve levar o animal ao Médico-Veterinário o quanto antes e nunca administrar medicamentos sem orientação deste profissional.

Se a ideia é oferecer ao pet um agrado diferente para curtir o momento ao lado dele, tem sempre um petisco ideal para cada ocasião. A Mars possui em seu portfólio diversas opções, como os deliciosos petiscos PEDIGREE® BISCROK™, que podem ser oferecidos ao cão entre as refeições, como forma de recompensa. Para contribuir com a saúde oral, o tutor pode oferecer PEDIGREE® Dentastix™, que ajuda a reduzir em até 80% a formação do tártaro em cães. E para os felinos, o petisco DREAMIES™, que os gatos adoram e que possuem menos de 2 calorias por pedacinho. Mas, vale sempre estar atento a tabela nutricional de cada petisco para que o consumo de calorias respeite a necessidade diária do pet evitando, assim, o sobrepeso.
Compartilhe no Google Plus