Outubro Rosa: a importância do diagnóstico precoce do câncer de mama


A estimativa do Instituto Nacional de Câncer (Inca) é de que 57.960 novos casos de câncer de mama sejam diagnosticados este ano no Brasil. O tumor, que atinge principalmente mulheres acima dos 40 anos, caracteriza a doença na região mamária atingindo principalmente os ductos lactíferos e os lobos (pequenos lóbulos que formam uma rede de glândulas produtoras de leite), esses tumores são denominados "carcinoma ductal ou lobular". 

Cada tumor tem um tempo de desenvolvimento e intensidade diferente. Muitas vezes, a doença é descoberta em estágio avançado, o que pode dificultar a cura. A Campanha Outubro Rosa vem destacar a importância da detecção precoce do câncer de mama. Em Natal, a mobilização começou em 2009, trazida pela Liga Contra o Câncer.

Durante todo o mês de outubro a campanha é intensificada e destaca a importância da prevenção, assim como faz um alerta para a realização anual de mamografias por mulheres acima de 40 anos visto que desta forma o diagnóstico é preciso. É o que explica Sabrina Alapenha, enfermeira do Hapvida Saúde. "É recomendável que este grupo de mulheres realizem a mamografia anualmente, pois o exame radiológico dos tecidos moles das mamas permite detectar o câncer precocemente, antes que ele seja palpável ou se manifeste através de outros sinais clínicos. A detecção precoce permite que o câncer de mama seja curável em cerca de 90% dos casos".

Sabrina afirma ainda que a desinformação e o medo de realizar o exame ainda impede o diagnóstico precoce da doença, por isso entidades filantrópicas, hospitais e mídia em geral, têm realizado constantemente campanhas de conscientização e estímulo à realização do autoexame, onde a mulher pode apalpar a mama com o braço estendido acima da cabeça procurando algum tipo de nódulo ou alteração. Além do autoexame, a realização da mamografia não deve ser ignorada, uma vez que, é a forma mais eficaz de detectar a doença. O exame pode ser solicitado durante as consultas ao ginecologista e feito em clínicas que disponham de mamógrafos de qualidade.

Alguns nódulos demoram anos para se tornarem palpáveis, por isso, é importante estar atenta a qualquer alteração na mama, seja cor, textura da pele ou mamilo, irritação, secreção ou dor. Ao perceber algum sinal de anormalidade, deve-se imediatamente procurar um médico, ele solicitará a mamografia e exames complementares que apresentem um diagnóstico exato do problema, quanto antes a doença for detectada, mais rápido inicia-se o tratamento, como afirma a enfermeira do Hapvida: "O câncer de mama identificado em estágios iniciais, quando as lesões são menores de dois centímetros de diâmetro, apresenta prognóstico mais favorável e elevado percentual de cura. As estratégias para a detecção precoce são o diagnóstico precoce (abordagem de pessoas com sinais e/ou sintomas da doença) e o rastreamento (aplicação de teste ou exame) em mulheres assintomáticas, aparentemente saudáveis, com o objetivo de identificar lesões sugestivas de câncer e encaminhar as mulheres com resultados alterados para investigação e tratamento".

Uma vez detectado o câncer de mama, o médico solicitará uma biópsia que identificará o estágio da doença e a melhor forma de combatê-la. Os tratamentos podem ser feitos a partir de quimioterapia, radioterapia ou ainda de cirurgia, onde o especialista avalia a necessidade de retirar ou não toda a mama, processo conhecido como mastectomia. A mulher deve estar atenta a qualquer sinal de mudança na mama e procurar um médico assim que perceber algo fora do comum.
Compartilhe no Google Plus