Deixar cachorro acorrentado ou sempre preso torna-se crime em Florianópolis

Resultado de imagem para Deixar cachorro acorrentado ou sempre preso torna-se crime em Florianópolis
Imagem: Amo meu Pet
Já vigora em Florianópolis uma lei municipal que torna criminaliza o ato de manter um cachorro acorrentado ou sempre preso no canil. O texto ainda deixa mais rígida a definição de maus tratos, e estabelece multa que varia de R$ 500 a R$ 3 mil.

A fiscalização fica a cargo da Direção de Bem-Estar Animal (Dibea). Para denunciar maus-tratos, é necessário fazer um boletim de ocorrência e levar o BO até a Dibea. A denúncia pode ser anônima. São, em média, 40 por mês – todas verificadas.

Também foi definido pela lei que, se não for possível manter o animal solto, ele poderá ficar preso por um tempo, desde que numa corrente tipo vai e vem. Só neste ano, as equipes já fizeram 174 resgates dessa forma.

A autora do projeto de lei, vereadora Maria da Graça Dutra, falou sobre a necessidade de iniciativas como essa:

“As pessoas acham que é normal ter o animal na corrente. Adotam um cachorro, filhotinho, e já botam na corrente e ele passa o resto da vida dele ali. E resta dizer que a vida dele é diminuída em metade pelas condições que ele passa”

Recentemente, quatro cachorros foram resgatados. Quem conta mais sobre ação de resgate é José Ferreira da Silva, funcionário da Dibea:

“Eles estavam confinados num canil, um cubículo muito pequeno, com fezes há mas de semanas. Fomos averiguar a situação, que já era situação de maus-tratos”

Os donos vão responder pelo crime de maus-tratos na Polícia Civil e a um processo administrativo da prefeitura. Já os animais estão bem e deverão ser encaminhados para adoção.

Com informações de nsctotal
CONTI OUTRA
Compartilhe no Google Plus