Associação apoia a continuidade da telemedicina pós pandemia


O Diário Oficial da União da última quinta-feira (20) promulgou o complemento à Lei 13.989, de abril deste, que regulamentou a telemedicina durante a pandemia. Além disso, o novo trecho passou a integrar a lei, o que permitirá que o procedimento possa, após a crise, ter sua sequência e regulamentação feita pelo Conselho Nacional de Medicina (CFM).


Para a ABIMED - Associação Brasileira da Indústria de Alta Tecnologia de Produtos para a Saúde -, que representa o setor, a adoção permanente da telemedicina é positiva, mas o tema ainda precisa ser melhor discutido e aprimorado.

“A continuidade da telemedicina após a COVID-19 tem todo o nosso apoio, pois sua implantação definitiva seria uma resposta ao anseio da sociedade por mais acesso ao atendimento de saúde”, destaca Fernando Silveira Filho, presidente da Associação. 

Sobre a ABIMED

A ABIMED – Associação Brasileira da Indústria de Alta Tecnologia de Produtos para Saúde – congrega empresas nacionais e multinacionais que representam cerca de 65% do setor de equipamentos e dispositivos médicos no Brasil (0,6% do PIB nacional). A Associação tem como princípio contribuir para a promoção de um ambiente saudável, sustentável e propício à inovação tecnológica e à competitividade de suas associadas nos mercados local e global, bem como contribuir para o desenvolvimento do setor de saúde no Brasil, com foco no paciente, propiciando à população brasileira acesso a tecnologias de saúde inovadoras e de alta performance. A ABIMED possui em seu DNA a ética e a transparência que pautam sua atuação na representação da indústria, sendo a primeira entidade do setor a lançar um Código de Conduta para seus associados.

Editor de Saúde local: Willen Moura | via Saúde Today
Compartilhe no Google Plus