Em um ano, número de potiguares em situação de extrema pobreza aumenta 1,8%, diz IBGE

Resultado de imagem para pobreza no nordeste
Em um ano, o número de potiguares vivendo em situação de extrema pobreza aumentou 1,8% . O percentual de habitantes do estado nesta condição subiu de 9,9%, em 2016, para 11,7%, em 2017. São cerca de 66 mil mais pessoas abaixo da linha da extrema pobreza no estado.

As informações são do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), que divulgou nesta quarta-feira (5) a Síntese de Indicadores Sociais (SIS), um relatório sobre o quadro social do Brasil. Em todo o país, o número de pessoas na situação de extrema pobreza cresceu, exceto na Região Norte, que se manteve estável.

De acordo com as definições do Banco Mundial, as pessoas nessa situação são aquelas com rendimento inferior a US$ 1,90 por dia ou R$ 140 mensais.

Além de potiguares na extrema pobreza, também houve aumento da proporção daqueles que vivem abaixo da linha de pobreza, índice que mapeia aqueles que vivem com US$ 5,5 por dia ou R$ 406 por mês. Se em 2016 36,9% da popalação estava nessa situação, em 2017 o percentual subiu para 39%, o que indica que pouco mais de 1,3 milhão sobrevivem com pouco mais de R$ 400 mensais.

Natal

Quanto à capital do estado, que também faz parte da SIS, os números são ainda mais evidentes do aumento de pessoas com rendimentos abaixo do ideal. A proporção de habitantes na faixa de extrema pobreza subiu de 4,2% em 2016 para 9,1% ano passado. Desta forma, o IBGE indica que 80,4 mil natalenses vivem com até R$ 140 por mês. Já uma população de 259,8 mil pessoas vivem com até R$ 406 mensais.

Com informações do G1/RN

Compartilhe no Google Plus