Foragido de Alcaçuz durante massacre, suspeito de roubos a bancos é preso na Grande Natal

Valdemir Gomes de Oliveira, de 40 anos, foi detido nesta terça-feira (13) em São Gonçalo do Amarante, na região metropolitana de Natal. Procurada pela justiça, mulher de 30 anos também foi presa.

Valdemir Gomes de Oliveira estava foragido de Alcaçuz desde o massacre que aconteceu em janeiro de 2017. — Foto: Polícia Civil/Divulgação

Um homem que estava foragido do sistema penitenciário do Rio Grande do Norte desde a batalha entre facções rivais que deixou 26 mortos na penitenciária de Alcaçuz, em janeiro de 2017, foi preso pela Polícia Civil na manhã da última terça-feira (13) em São Gonçalo do Amarante, região metropolitana de Natal. Valdemir Gomes de Oliveira, de 40 anos, que é condenado a mais de 65 anos de prisão, e é suspeito de ter realizado roubos a bancos desde então.

Os policiais da Divisão Especializada em Investigação e Combate ao Crime Organizado (Deicor), em investigação conjunta com a Delegacia Especializada em Roubos e Furtos de Pernambuco (Depatri), realizaram a prisão no bairro Cidade das Rosas. O procurado estava com um revólver, seis munições e documentos com nome falso.

A companheira de Valdemir, 30 anos de idade e tinha um mandado de prisão em aberto por "roubo majorado", também foi presa. Conforme a polícia, ela foi responsável, junto com ele, por alugar uma granja e dar apoio a uma organização criminosa que no dia 8 de março deste ano explodiu um caixa eletrônico da rede 24h em São Gonçalo do Amarante.
Homem foi preso com arma, munições e documentos falsos na Grande Natal — Foto: Polícia Civil/Divulgação

Na granja, foram encontrados baldes de grampos, bem como explosivos e placas de veículos roubados. Ainda de acordo com a polícia, a quadrilha já havia atuado em outros estados, como Pernambuco, Paraíba e Sergipe.

Um dia após a explosão do caixa, os policiais da Deicor prenderam quatro suspeitos, porém o casal seguia foragido.

Outros crimes

Ainda de acordo com a Polícia Civil, Valdemir já foi preso pela Polícia Federal de Campina Grande, Paraíba, por 4 roubos a bancos. Ainda no estado, foi preso por latrocínio e porte ilegal de arma de fogo. Em São Paulo, Azulão, como também é conhecido, foi detido por porte ilegal de armas de fogo e munições. No Rio Grande do Norte, é processado por tráfico de drogas e associação ao tráfico. Ainda de acordo com a polícia, o casal integra uma facção criminosa.

G1
Compartilhe no Google Plus