Startup cria solução para médicos não furarem crânio de pacientes

Uma solução que parecia impossível há 3 anos, hoje já está dentro de alguns dos maiores hospitais do Brasil


A cena causa desconforto em qualquer um. Um buraco no crânio.

Essa era a maneira da medicina tradicional medir a pressão intracraniana no cérebro dos pacientes.

Além de invasivo, a recuperação é dolorosa e demorada. O paciente precisa ficar de 4 a 5 dias no hospital. Precisa mudar de posição constantemente na cama para não causar tromboembolismo e úlceras. Além de ser solicitado para que tussa com frequência para limpar as vias aéreas.

Como se não bastasse o desconforto, ainda há os efeitos colaterais pós-operatórios: inflamação do couro cabeludo, confusão temporal e tontura.

Tudo isso pode ter chegado ao fim graças à solução criada pela healthtech Braincare.

Ela possui uma tecnologia capaz de medir a pressão intracraniana sem que nenhum tipo de procedimento cirúrgico seja feito. Você só precisa usar uma espécie da cinta magnética no crânio, que a medição e os dados serão enviados para um computador ou aplicativo.

O criador da empresa é o pesquisador Sérgio Mascarenhas, de 90 anos. Ele próprio teve uma válvula para drenar líquido do cérebro quando foi diagnosticado com hidrocefalia.

Inconformado com a experiência, ele desenvolveu um método que permitisse mensurar o pulso da pressão intracraniana da forma menos invasiva possível (algo considerado impossível até então).

O método Braincare (cuidado cerebral, em inglês) mostra que é possível detectar indícios de pressão intracraniana por fora do cérebro. Pois o crânio é expansível e não é preciso inserir um sensor no cérebro para medir isso.

Como funciona?



Um sensor é posicionado na cabeça do paciente, e gera dados que podem ser visualizados em tempo real, na tela de qualquer computador ou dispositivo conectado à internet.

Com essas informações, é possível chegar se o paciente tem ou não problemas neurológicos, quadro de AVC, hidrocefalia, etc.

A Braincare nasceu em 2014, mas as pesquisas para desenvolver a tecnologia estavam a todo vapor desde 2007. E em 2017 ela foi uma das sete startups (e a única brasileira do grupo) a receber investimento da Singularity University.

Hoje a Braincare está dentro dos principais hospitais do país: Sírio-Libanês, Hospital das Clínicas, Hospital São Paulo, Beneficência Portuguesa, Hospital Miguel Couto e Instituto Estadual do Cérebro (IEC).

Nasce o primeiro sinal vital digital!

Esse será o tema da palestra que o atual CEO da empresa, Plínio Targa, dará no maior evento de tecnologia médica do Brasil: o HealthTech Conference 2019.

O evento ocorre no próximo dia 25 de abril, no Expo Center Norte, em São Paulo.

Confira aqui os demais palestrantes e tema do evento. E garanta um desconto especial no evento que pode chegar a 40% de desconto no lote de pré-venda acessando a página oficial do evento.

Por Victor Hugo Bin | Copywriter (Via StartSe)
Editor Local: Willen Benigno de O. Moura
Compartilhe no Google Plus