Diminuição de empregos formais no RN assusta

Resultado de imagem para desemprego
Imagem: CSB
O saldo negativo de empregos no Rio Grande do Norte foi tema de debate na Sessão Ordinária na Assembleia Legislativa. Em seu pronunciamento, o deputado estadual Hermano Morais (MDB) demonstrou preocupação com a diminuição do número de empregos formais no Estado.

"É preciso atentar para esse problema. Precisamos de Políticas Públicas no sentido de reestabelecer o crescimento das vagas de emprego no Estado, visto que esses números influenciam diretamente na questão da segurança pública e na saúde porque o cidadão estando desempregado não pode estar bem", discursou o parlamentar.

Hermano Morais baseou-se nos dados do Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged) divulgados ontem (24) pelo Ministério da Economia, que mostram que o RN fechou 2.033 vagas de empregos formais em março.

"Esses números vem se repetindo mês a mês. Espero que o Governo possa atrair novos investimentos e passe a favorecer o que já está posto, de forma a reverter esse quadro preocupante de desemprego em nosso Estado", ressaltou Hermano.




Os dados do Caged apontam ainda que o saldo negativo de empregos no RN decorreu de 10.236 contratações e 12.269 demissões. As perdas foram puxadas principalmente pela agropecuária, que teve um saldo negativo de 1.593 empregos. Em seguida, os setores mais prejudicados foram construção civil (-401) e o de serviços (-59).




Com o resultado de março – que foi o pior no Rio Grande do Norte desde 2016, quando houve uma perda de 2.383 vagas –, o Estado já perdeu 5.468 postos de emprego formal em 2019. No ano todo, de acordo com o Caged, foram 34.742 contratações ante 40.210 desligamentos.
Compartilhe no Google Plus