Primeira cidade vegetariana do mundo já existe e você precisa conhecê-la

Resultado de imagem para vegetarianos
Imagem: Mejor con salud
Palitana, na Índia, é conhecida por suas belíssimas paisagens, por uma arquitetura bastante particular e pelos seus mais de 800 templos, que todos os anos atraem uma infinidade de peregrinos. Mas, recentemente, a cidade localizada a 50 km a sudoeste da cidade de Bhavnagar ganhou holofotes por outro motivo. Ela se tornou a primeira cidade vegetariana do mundo.

Em decisão do governo do Estado de Gujarat, ficou proibida na cidade a venda de qualquer tipo de carne animal ou ovo para consumo. E mais: criar bichos para abate dentro do município também virou crime – mesmo se os produtores tiverem a intenção de exportar a carne para outros lugares.

A medida foi tomada depois que cerca de 200 monges jainistas fizeram greve de fome para protestar contra o assassinato de animais na cidade.

Segundo eles, Deus deu o direito de viver a todos os seres vivos e não cabe ao homem matar bichos para satisfazer uma vontade sua.

E a notícia agradou os cerca de 5 milhões de indianos que são adeptos dojainismo (a religião é uma das mais antigas do mundo e prega um caminho de não-violência para todos os seres vivos). Quem não segue a crença, no entanto, não gostou nem um pouco da medida.

Mas nem todos ficaram felizes com a decisão, afinal, Palitana tem cerca de 65 mil habitantes e, pelo menos, 25% deles são muçulmanos – e discordam da decisão do governo. Segundo eles, a maioria das pessoas que vivem na cidade não são vegetarianas e o Estado não tem o direito de controlar a dieta das pessoas. O grupo já entrou com pedido no Supremo Tribunal Federal, juntamente com todos os pescadores da região (que, claro, também não curtiram a ideia). Eles querem a anulação da medida instituída pelo Estado.

A decisão é controversa, mas vale o questionamento: Comer carne animal deve mesmo ser uma escolha individual, ou o Estado pode interferir e estabelecer um novo padrão?

Com informações de The greenest post
CONTI OUTRA
Compartilhe no Google Plus