Tráfico de Drogas pelo Porto de Natal preocupa secretário

Secretário de Agricultura e Pecuária Guilherme Saldanha

A solução para o problema das exportações de drogas pelo Porto de Natal existe e está encaixotada há pelo menos dois anos, segundo revelou o secretário de Agricultura e Pecuária (SAPE) do Rio Grande do Norte, Guilherme Saldanha. Conforme o secretário, um scanner vindo do Porto de Suape-PE está guardado na Companhia Docas do Rio Grande do Norte (Codern) há pelo menos dois anos e nunca foi instalado por falta de recursos. O equipamento serve para identificar a droga, mesmo que ela esteja escondida dentro dos contêineres.

“Já tem um scanner no Porto de Natal que veio de Suape, uns dois ou três anos atrás. O que precisa é a gente formar um mutirão, e aí a classe política tem que ajudar muito, a própria Codern, a preocupação da governadora Fátima é essa também, que a gente precisa viabilizar recursos da ordem de 5, 6, 10 milhões de reais, no máximo, para instalar esse scanner”, disse Guilherme Saldanha em entrevista ao Hora Extra da Notícia (91.9 FM) da última terça-feira (14).

Segundo o secretário, embora o equipamento que está guardado não seja dos mais modernos, ele está em plenas condições de atender, inicialmente, à demanda que o Porto de Natal tem atualmente. “Ele não está instalado, está desmontado, encaixotado e guardado. Precisa desencaixotar e instalar”, acrescenta o secretário da SAPE.

Uma nova apreensão de uma tonelada de cocaína foi realizada pela Polícia Federal no Porto de Natal. A droga estava escondida em uma carga de manga e tinha como destino a Holanda.

Só esse ano foram apreendidas mais de 11 toneladas de cocaína, seja diretamente no Porto de Natal ou que tenha passado pelo terminal potiguar e interceptada pela polícia da Holanda.

O secretário Guilherme Saldanha classifica como “uma coisa muito boa” a nova apreensão de drogas desta segunda-feira (13) em Natal, pois significa, segundo ele, que “a questão da segurança que foi planejada pela Codern está funcionando”. No entanto, ele alerta que o que vai causar um transtorno muito maior é se houver uma nova apreensão, na Holanda, de droga enviada pelo Porto de Natal.
Compartilhe no Google Plus