Brasileiros "esquecidos pelo governo" ao ficarem em análise no Auxílio Emergencial

Um fato está incomodando muitos brasileiros. Desde que o Governo Federal anunciou que iria liberar o chamado "Auxílio Emergencial" para ajudar as pessoas afetadas pela pandemia, um número ainda não divulgado tiveram seus pedidos do auxílio no aplicativo negados, inconclusivos ou até mesmo mantidos "em análise". 

Foto Adaptada (Fila na Caixa por vitor jubini + Portal da Prefeitura)

Existem muitos relatos que enchem as redes sociais de pessoas que nem estavam tão necessitados e já receberam, há outros de que pessoas que vivem em mansões estão recebendo o referido auxílio mas boa parte dos brasileiros se mantém negado ou em análise.

A aflição está grande. Muitos entram em contato com o Diário Potiguar para denunciar e a cada dia que passa não há respostas conclusivas. Quando os cadastros sairão da "análise"? E aquelas pessoas que realmente tem direito mas foram negadas? E os dados inconclusivos? Quando iremos receber? Essas são apenas algumas perguntas que fazem os brasileiros em um momento onde o "fique em casa" é muito importante, mas o "comprar comida" é, também, mais importante. 

Código "parado":
Um fato que vem chamando a atenção e que deixa ainda mais apreensivo o povo brasileiro é que, antes, os códigos enviados tinham um prazo, ou seja, só poderiam ser usados em até 24h, no entanto, recentemente tem gente que recebeu código dia 8 e ele ainda está válido o que deixa a entender que não está se atualizando nada no sistema do "auxílio" nem mesmo o código.

Não contemplados buscam orientação no Fala.BR

Além daqueles que estão em análise tem os que não foram contemplados. Esses buscaram informações e orientações no Fala.BR do governo. 

De acordo com a Agência Brasil, mais de mil pessoas entraram em contato com a plataforma Fala.Br, na última semana, para reclamar por não terem sido contempladas com o auxílio emergencial pago pelo governo federal. O auxílio, que será pago em três parcelas de R$ 600, é destinado aos trabalhadores informais, microempreendedores individuais (MEI), autônomos e desempregados que perderam renda por causa da pandemia do novo coronavírus (covid-19).

"Em Análise"

Enquanto isso as pessoas continuam "em análise" pensando no que fazer para comprar alimentos, pagar algumas contas básicas e essenciais. 
Compartilhe no Google Plus