Mercado de casamentos deve ter retomada a partir de setembro

Maior plataforma de site e lista virtual de presentes do Brasil já vê movimentação no negócio e aponta o mês como um dos favoritos dos casais que adiaram o evento 

Pessoas, Casal, Homem, Guy, Mulher, Feminino, Menina
Sem dúvidas, um dos setores mais afetados pela pandemia atual foi o de eventos. Com a imposição do isolamento social pela OMS - Organização Mundial da Saúde -, milhares de casais tiveram que adiar a festa de casamento. Somente na plataforma iCasei foram mais de 3.500 adiamentos feitos desde março. 

Em pesquisa exclusiva feita com clientes iCasei, casais que subiriam ao altar nos meses de março, abril e maio e tiveram que adiar as celebrações elegeram os meses de setembro e outubro como os favoritos para a nova data. 

Com 1.681 participantes no levantamento realizado em abril, 61% responderam que adiaram o casamento já no início da quarentena e 32% ainda não tinham tomado a decisão de mudar a data. 

Com esse movimento, o iCasei prevê uma retomada, ainda que tímida, na realização dos eventos em todo país a partir de setembro. 

“Desde março, tivemos uma queda muito expressiva em receita por conta dos casamentos que não aconteceram. Mas, tudo no cenário indica que teremos uma retomada bem importante a partir de setembro. Isso porque até lá é esperado que as coisas estejam se normalizando, ainda que timidamente, e, portanto, os casamentos acontecendo - ainda que com restrições”, indica Luis Machado, CEO do iCasei.

Veja dados do iCasei referentes aos números de casamentos marcados em 2020! 

Volume de casamentos por mês no decorrer de 2020 

dados coletados em jun/20 referentes a base de clientes iCasei 

Aquisições de clientes no período quarentena e os meses escolhidos para essas celebrações



dados coletados em jun/20 referentes a base de clientes iCasei 


Variação de datas dos casamentos marcados por mês

"Observamos que a partir do final de maio houve um aumento, ainda que tímido nas movimentações de troca de data de casamento, comenta Luis Machado. "Os números negativos indicados não significam perda de clientes, mas o deslocamento do mês do casamento. Ou seja, a partir de março, os casais começaram as remarcações para o período de agosto em diante", diz. 




dados coletados em 11/6 referentes a base de clientes iCasei 

Mês a mês


- Março e abril - casais que remarcaram no curto prazo na expectativa de uma "quarentena"até mais curta do que tivemos


- Junho e julho - casais já se antecipando a mudar a data não tão próximo do evento


- Ago - variações de números por reflexo das remarcações do início da pandemia; casais que se casariam em março e abril e que remarcaram para agosto. Porém, devemos ter uma nova mudança de números visto que em certos locais onde as restrições de quarentena estão se mantendo os casais tendem a adiar novamente os eventos.


Setembro - poucas variações pois é, de fato, a aposta dos casais.


Outubro, novembro e dezembro - o maior crescimento de mudança. Antes, não tão movimentado, passou a ser destaque em virtude das remarcações, por preferência dos casais que querem se casar ainda em 2020 e não querem adiar para 2021. 
Compartilhe no Google Plus