Pinacoteca da Fundaj reúne obras de grandes nomes inéditas ao público

Exposição Presente da Natal, da Fundação Joaquim Nabuco, resgata periódico, símbolos e costumes da comemoração. Lançamento nesta terça (15), às 15h10


No Século XX, a revista Presente da Natal ganhava as bancas recifenses todo mês de dezembro. Idealizado em 1930 pelo jornalista Luiz do Nascimento, autor da enciclopédica História da Imprensa de Pernambuco, o periódico tomava uma das principais celebrações do mundo para então oferecer aos seus leitores. Quase um século após a publicação do primeiro número, a Fundação Joaquim Nabuco, por meio de sua Diretoria de Memória, Educação, Cultura e Arte (Dimeca), resgata o título e lança virtualmente a exposição Presente de Natal, nesta terça-feira (15), às 15h10. A mostra integra a programação do Natal da Esperança, promovido pela Instituição, e ocupa a Sala Waldemar Valente, no campus Casa Forte.

“A revista tinha periodicidade anual e era graficamente simples, pois usava os recursos tecnológicos disponíveis. Mas seu conteúdo é rico e nos traz muito do que era o Natal daquele período”, adianta o coordenador de Exposições do Museu do Homem do Nordeste (Muhne), Antônio Montenegro. De acordo com ele, o periódico permite uma viagem no tempo aos costumes, formas de convivência e comemoração do último século. Outro detalhe valioso é o caráter comercial da obra, expresso na publicidade. Os números em exposição pertencem à Biblioteca Blanche Knopf, da Fundaj.

Além do periódico, o público poderá conferir diversas obras das coleções da Casa que passeiam pelo tema. Para a mostra, foram visitados os acervos do Museu do Homem do Nordeste e do Centro de Documentação e de Estudos da História Brasileira Rodrigo Mello Franco de Andrade (Cehibra). Assim, os festejos populares não ficarão de fora, graças aos registros da antropóloga norte-americana Katarina Real. Peças de folguedos, em cerâmica, madeira, xilogravuras e aquarelas também compõem a mostra. Mas há também os cartões postais típicos da época. Ainda entre os destaques, está um conjunto do Boi Reisado de Maceió.

“A exposição nos leva a refletir sobre esse universo natalino, mas também sobre nossos dias, particularmente em um ano que se caracterizou os desafios cotidianos em nível mundial. E, por outro lado, demonstra o quanto se tornam importantes os acervos e os estudos que podem ser neles embasados”, reflete Montenegro, que recorda o papel fundamental dos postais no fim do século XIX e início do XX, muito antes da internet e das redes sociais. “São nesses objetos, imagens e textos que se encontram valores que precisam ser conservados e compartilhados por todos. E isso é um verdadeiro presente de natal.”

Serviço
Lançamento da Exposição Presente de Natal
Data: 15 de dezembro, terça-feira
Horário: 15h10
Transmissão no canal da Fundaj, no YouTube
Visitas: terças a sextas-feiras, das 10h às 17h
sábados, domingos e feriados, das 13h às 17h
Informações: (81) 3073-6331/6385

Pinacoteca da Fundaj reúne obras de grandes nomes inéditas ao público

Lançamento de Ensaio 1 ocorre virtualmente, nesta terça (15). Mostra abrirá ao público com protocolo de visitação

Ao longo de seus mais de 70 anos, a Fundação Joaquim Nabuco (Fundaj) consolidou um dos acervos iconográficos mais valiosos do País. Apenas para ilustrar, dentre suas coleções figuram obras que vão dos modernistas Aloisio Magalhães e Tarsila do Amaral ao armorial de Gilvan Samico e Francisco Brennand. Até internacionais, como o moçambicano Malangatana. Em uma fusão inédita, a Instituição, por meio de sua Diretoria de Memória, Educação, Cultura e Arte (Dimeca), lança virtualmente, nesta terça-feira (15), às 16h, o projeto Pinacoteca — Ensaio 1, que ocupará o primeiro piso do Solar Francisco Ribeiro Pinto Guimarães, em Casa Forte. A iniciativa integra a programação do Natal da Esperança, promovido pela Casa. A visitação presencial seguirá protocolo devido à pandemia.

Em Pinacoteca - Ensaio 1 estão expostas cerca de 50 obras, entre desenhos, pinturas, gravura e fotografias. Além dos artistas mencionados, o público poderá conferir obras de Bajado, Cícero Dias, Chico da Silva, Djanira, Diego Rivera, Gil Vicente, Malangatana, Vicente do Rego Monteiro e muitos outros. Para um dos curadores, Moacir dos Anjos, caberá ao público aplicar novos ensaios ao longo do encontro. "É ensaio porque sugere linhas discursivas contidas em potência nas obras expostas, as quais são realçadas pelos avizinhamentos entre elas que são aqui sugeridos. A sugestão de algo que não existe ainda, mas que se insinua e se esboça", explica.

Para os amantes das artes visuais, será uma oportunidade para conferir produções ainda desconhecidas de nomes consagrados. "Existem várias obras que nunca foram expostas ao público, como gravuras em metal de Tarsila Amaral, uma xilogravura de Ladjane Bandeira, um desenho de Diego Rivera e uma pintura de Samico, dentre muitas outras", revela o arquiteto e urbanista Rodrigo Cantarelli, pesquisador da Fundaj e integrante da equipe curatorial. "Além desses existem outras obras de artistas consagrados e que são pouco conhecidas do público, ou que foram expostas por curtos períodos de tempo, como Lula Cardoso Ayres", adianta Cantarelli.

Palco da exposição, o Solar será outro exemplar à parte. Construído no século XIX, de arquitetura eclética e neoclássica, o edifício foi propriedade do comerciante de açúcar Francisco Ribeiro Pinto Guimarães, que utilizava o espaço para a compra e exportação da mercadoria. Ainda nos dias atuais, conserva parte de sua estrutura original. "A exposição no Solar tem especial significado para a Fundaj, pois foi nesse edifício que a Instituição funcionou em seus primeiros anos. O edifício, também um exemplar arquitetônico de relevância histórica e artística, encontra-se em processo de tombamento em nível estadual e federal", completa outro curador, o coordenador de Exposições do Museu do Homem do Nordeste, Antônio Montenegro.

A mostra ficará aberta até o dia 31 de março de 2021 e contará com mediação da equipe do Educativo do Museu do Homem do Nordeste. Para a visitação, o público deverá cumprir todas as recomendações de segurança e respeitar a política de limite ao espaço expositivo. Cada turma deverá ser composta de até 5 pessoas no local — incluindo o monitor. Os horários para a visitação são de terças a sextas-feiras, das 10h às 17h, e aos sábados, domingos e feriados, das 13h às 17h. Para mais informações, ligue 3073-6331/6385.

Projeto
Como o próprio nome indica, a Pinacoteca reunirá o importante acervo da Instituição federal, sediada no Recife. Para assegurar a preservação das peças, elas devem ser trocadas de tempos em tempos. De modo que continuará, permanentemente, inédita. "Trata-se de uma seleta de um grande conjunto que, no futuro, estará à vista do público, na inauguração definitiva da Pinacoteca, um projeto de longas datas, que se materializará no próximo ano", explica o diretor de Memória, Educação, Cultura e Arte (Dimeca), Mario Helio. Para compor a equipe curatorial do projeto, foram convidados Moacir dos Anjos, Antônio Montenegro, Albertina Malta e Rodrigo Cantarelli.

Serviço
Lançamento Pinacoteca — Ensaio 1
Data: 15 de dezembro, terça-feira
Horário: 16h
Transmissão no YouTube da Fundaj
Visitas: terças a sextas-feiras, das 10h às 17h
sábados, domingos e feriados, das 13h às 17h
Informações: (81) 3073-6331/6385

Veja mais imagens:












Compartilhe no Google Plus