Imprensa nacional está deixando Bolsonaro sem oxigênio para 2022

Imagem: Antonio Cruz/Agência Brasil 

Em meio a tantas notícias ruins no Brasil como a situação de Manaus(AM) com novos casos da Covid-19, mortes, dólar alto, gasolina e alimentos subindo, população cada vez mais necessitada, clamando por auxílio emergencial, a imprensa nacional aproveita todos os problemas neste período e vai deixando Bolsonaro, pouco a pouco, sem oxigênio para enfrentar 2022.

É sabido de todos que vários países enfrentam problemas similares no Brasil e temos um presidente que não mede as palavras ao dar suas respostas aos jornalistas.

Essas situações, juntas, estão deixando cada vez mais Bolsonaro vulnerável no qual vê sua popularidade caindo e necessitando de fôlego para tentar sua reeleição.

Há quem diga que ele esteja "morendo pela boca" devido as suas polêmicas falas, no entanto, apesar de isso ser uma verdade, é notório que muitos da mídia nacional hoje é representada pela esquerda(nem todos) e muitas vezes não faz um paralelo imparcial como este que estamos relatando neste texto. E explicamos.

Uma imprensa deve ser imparcial. Denunciar o errado e anunciar o correto. Com total isenção.

O grande problema é que hoje as pessoas consomem, mesmo sem querer, muitas Fake News e isso pode prejudicar qualquer um, inclusive ao presidente. Mas se formos opinar imparcialmente sobre o que está acontecendo com Bolsonaro podemos dizer sem medo de errar: "Tem que falar menos".

Por Opinião Diário potiguar | do RN para o Mundo 

Antonio Cruz/ Agencia Brasil)

Compartilhe no Google Plus