Pele artificial vascularizada poderá permitir a reprodução de órgãos bioimpressos

Imagem: Pixabay

A empresa 3D Biotechnology Solutions (3DBS), apoiada pelo programa PIPE-FAPESP está desenvolvendo uma tecnologia para imprimir tecidos artificiais vascularizados. A solução permitirá a reprodução de órgãos impressos a partir de células do próprio receptor.

Com a tecnologia também será possível automatizar a produção de pele artificial, o que favorece a extinção dos testes de cosméticos e fármacos em animais, bem como o desenvolvimento de tratamentos ainda mais efetivos para feridas e queimaduras.

A empresa é conhecida por ser a primeira do Brasil a oferecer equipamentos para biofabricação. A corrida para o desenvolvimento e a viabilização de órgãos artificiais vascularizados ganhou escala Internacional. Há estudos em diferentes frentes da área de saúde, desde tratamentos até transplante de órgãos bioimpressos.

Por Agência Fapesp 
Compartilhe no Google Plus