A "guerra da vacina" e da política que só atrapalha o povo brasileiro

Desde que Bolsonaro assumiu a presidência as discussões políticas só giram em torno da rivalidade Esquerda x Direita. A esquerda é apelidada de "esquerdopatas" pelos defensores de Bolsonaro e estes últimos levam a alcunha de "gado bolsonarista" pelos membros da esquerda.

As redes sociais, por exemplo, são o palco dessa guerra que parece não ter fim. 

Como se não bastasse um país dividido agora essa batalha ganhou novas nuances onde trouxeram inclusive a ciência para o debate e marca de vacina, uso ou não de máscara ou a dicotomia Cloroquina x Ivermectina virou sinônimo de lado político.

A guerra "esquerdodireitista" em torno de quem traria primeiro os imunizantes para o Brasil, se indicaria o seu uso, ou a escolha da marca/origem notoriamente atrapalhou mais que ajudou.

Se o brasileiro não estivesse dividido e os políticos realmente engajados em beneficiar a população, tais vacinas provavalmente já estariam sendo distribuídas ou até, por utopia, descobertas e fabricadas em nosso país.

Embora seja sonhar alto, pensar em um Brasil unido e voltado para o progresso é algo que nos inspira e deve sempre ser fonte da discussão principal e não a busca por maior divisão.

A "guerra da vacina" e da política, alidado a todos os problemas que estamos enfrentando na pandemia, tem trazido mais malefícios do que benefícios para a nossa população.

Compartilhe no Google Plus