Treinos em academias ajudam a melhorar a qualidade de vida de idosos

Na semana passada se comemorou o dia dos avós. Médicos, profissionais da educação física e psicólogos afirmam que o movimento é o melhor remédio para envelhecer com saúde.


Idosos precisam ficar em constante estado de repouso, longe de academias e esportes físicos, certo? Errado! Apesar das crenças populares e da patologização da velhice, cada vez mais as pessoas acima de 60 anos dão uma chance para a vida ativa e a ciência confirma os impactos positivos do movimento na rotina.

Quando falamos sobre exercícios físicos, geralmente os benefícios à estética são lembrados primeiro. Embora também sejam indispensáveis para um corpo torneado, as rotinas de treino são aliadas poderosas do envelhecimento saudável e do fortalecimento do corpo.

Quem explica os benefícios para o público mais velho é a potiguar Mylena Melo, personal há oito anos na academia Bodytech Tirol, em Natal. “Nessa idade, há uma perda de massa magra e óssea, o que diminui a potência muscular e aumenta consideravelmente o risco de quedas, que podem chegar até a serem fatais. Por causa desses fatores, sempre indico musculação, começando com ritmo leve e acompanhando o tempo do aluno”.

Além dos efeitos físicos, o ambiente de treinos é positivo também para a saúde mental de pessoas idosas. “Acho muito interessante organizar exercícios em grupo para trabalhar a socialização e melhorar os estados de humor, ajudando todos os participantes a se manterem ativos”, explica Mylena.

A potiguar Maria Iracilda de Medeiros, de 72 anos, sente na pele o poder transformador dos exercícios físicos há 12 anos, também na academia Bodytech Tirol, e garante que os avanços mudaram bastante sua qualidade de vida. “Comecei a praticar musculação por indicação médica. No processo, senti minha flexibilidade e resistência aumentando. Hoje eu consigo sentar e levantar do chão sozinha, algo que não conseguia antes”, relata.

Para os iniciantes, a dica é começar em um ritmo mais leve, sempre com o acompanhamento de um personal de confiança, tudo após passar por uma avaliação física, para entender se existem limites e quais são eles. Dar o primeiro passo é a parte mais importante e, para influenciar mais pessoas a sentirem os efeitos da atividade física, a dona Iracilda garante: “sempre que saio do treino estou disposta, animada e satisfeita”, finaliza.

Diário Saúde - Colaboração: Willen Moura 
Fonte: Assessoria Bodytech
Compartilhe no Google Plus